segunda-feira, 14 de abril de 2014

POLÊMICAS, SURPRESAS E GRANDEZA NAS FINAIS - Por Rodrigo Curty

E lá se foram praticamente todos os campeonatos regionais. E apenas para variar, as mesmas foram repletas de erros, polêmicas, surpresas e alegrias.
A festa do domingo com exceção do Vitória foi praticamente rubro-negra. Flamengo, Atlético GO, Ituano e Sport Recife, esse com passagem às finais para encarar o Náutico. Também merecem os méritos Cruzeiro, Figueirense, Londrina e Bahia.

Vamos aos destaques dos principais torneios.
Começo com o Paulistão. De zebra a favorito, esse foi o time do Ituano na reta final da competição. A máxima de que a melhor defesa é o ataque não valeu aqui. O time que menos gol levou na competição fez um belo torneio. De cara levou a vaga do Corinthians, que se quer chegou às quartas, uma vez que o time do Interior passou pelo São Paulo, no Morumbi. Depois eliminou o melhor time do interior, o Botafogo, em Ribeirão Preto nos pênaltis. Nas semifinal, o eliminado foi o Palmeiras, em pleno Pacaembu. Daí muitos achavam que a sorte ou melhor competência não valeria contra o Santos, que mesmo atuando duas vezes no Pacaembu, acabou derrotado nas penalidades. Diga-se de passagem que o placar de 1x0 a favor dos santistas só foi possível, graças ao erro do bandeira que não deu impedimento no lance do pênalti, mas na hora H, vitória do Galo por 7x6 e alegria pelo bicampeonato paulista.Parabéns ao presidente Juninho Paulista e cia, que lamentavelmente terão o provável desmanche da equipe. Coisas do futebol brasileiro.
No Maracanã, o Vasco mais uma vez caiu diante do seu maior rival, Flamengo. É bem verdade que o Cruz-maltino teve mais posse de bola e foi prejudicado pelo gol impedido de Márcio Araújo aos 45' do segundo tempo. Tudo bem que no início do jogo, o zagueiro Luan deveria ter sido expulso e não foi. Erros e acertos em partida sem muita emoção e com o rubro-negro jogando com o regulamento debaixo do braço. Fica a lição de que nunca se deve comemorar antes do apito final soar e, que erros sempre existirão no futebol, a não ser que a Fifa entenda como já ocorre em outros esportes como Volêi e no Tênis, que o "desafio" entre em cena quando uma dúvida aparece. Para muitos perderia a graça do "erro", mas para outros não existiria a desculpa de entender que tudo não passa de uma conspiração. E o curioso é que no lance nenhum vascaíno em campo reclamou. O que seria das reclamações se não houvessem as câmeras?
O fato é que o 33º título carioca mascara a força do Flamengo para o Nacional e retrata um problema sério no Vasco nos próximos dias, afinal é bem provável que agora Eurico Miranda ganhe mais forças para retomar o posto maior do clube no lugar do aniversariante de ontem, Roberto Dinamite. Perde o futebol brasileiro.

Em Minas, o Cruzeiro levantou a taça e tirou o tricampeonato do Atlético MG. No Mineirão a lambança da arbitragem também se fez presente. O Galo foi prejudicado por ter impedimentos irregulares e um pênalti claro não marcado, mas isso não tira o brilho e méritos da conquista do time de melhor campanha e que jogou melhor as finais. O empate sem gols fez com que a Raposa comemorasse, mas a promessa e expectativa dos atleticanos é para um novo confronto, desta vez pelo Libertadores. Já pensou? Ia ser interessante.
Em Caxias do Sul, no estádio Centenário, a festa foi vermelha e branca. O Internacional que já tinha a vantagem contra o Grêmio atropelou e conquistou o tetracampeonato, sendo o 43º título estadual. O clássico que normalmente termina empatado foi surpreendente. 4x1 para o Colorado, gols de D'Alessandro, Alex(2) e Alan Patrick, e para o tricolor, contra de Ernando. Parabéns ao time de Abel Braga, que mais uma vez entra como um dos favoritos ao Brasileirão e, que a torcida espera não se decepcionar novamente. Ao Grêmio vale a torcida saber que o que vale muito para o clube é a Libertadores, e lá vai tudo bem.
Na Bahia, a festa é tricolor. O Bahia mais uma vez suportou a pressão do Vitória. Vencendo por 2x0, o campeão baiano cedeu o empate, mas no fim soube administrar e levantar o caneco. O Rubro-Negro aparentemente não demonstra crise, porém cabeças devem rolar para o início do Nacional.
Parabéns a todos os campeões regionais e que venha o Brasileirão se possível sem polêmicas e viradas de mesa. Que tudo seja decidido em campo e sem muitos erros para não tirar méritos dos vencedores.
Até a próxima!