sexta-feira, 16 de maio de 2014

EM BUSCA DA INÉDITA LIBERTADORES - Por Rodrigo Curty

E mais uma vez o torneio mais importante do continente Sul-americano terá um campeão inédito. Se em 2012, o Corinthians calou todos que entendiam que jamais seria campeão da competição, no ano seguinte o mesmo fez o Atlético MG, pois bem, como se não bastasse, na atual edição, pela primeira vez o Brasil tinha a chance de ter uma final brasileira, o que sabemos não se concretizou e, pior, marcou também a história negativa de após 23 anos não colocar um representante nas semifinais.
Hoje podemos afirmar que isso se dá devido a planejamento das equipes de outros países da América do Sul ou termos coragem de entender que o futebol brasileiro precisa se reciclar e parar de achar que ainda é o melhor do Mundo.
Desacreditados, falamos destes semifinalistas. O San Lorenzo que eliminou no decorrer de sua trajetória, nada mais, nada menos de Grêmio e Cruzeiro é tido como o patinho feio da Argentina, a ponto de ter que aguentar as piadas dos rivais que afirmam que a sigla do time CASLA, significa: "Clube Argentino Sem Libertadores da América". Longe de querer fazer trocadilho, mas o time do Papa Francisco parece mesmo estar abençoado e teoricamente leva a taça e quebra esse tabu. Digo teoricamente porque o adversário dos argentinos será o surpreendente Bolívar(Bol). O time que já mostrou sua força contra o Flamengo e Lanús, pelo incrível que pareça, joga melhor fora do que no que deveria ser seu maior "jogador", a altitude de 3600m. É um time muito bem organizado e rápido nos contra-ataques. É bom de ver jogar.
Na outra semifinal, o duelo será entre o Nacional (Par). Time que não tem grande expressão, mas come bem pelas beiradas. Faz às vezes do tradicional Olímpia, detentor de três Libertadores. É dos quatro semifinalistas, a zebra a ser batida. O adversário também não tem muita expressão, no caso no Uruguai. Trata-se do Defensor, que faz excelente campanha e espera acabar com o jejum de seu país que não conquista o torneio há 26 anos. Será que os torcedores do Nacional e Peñarol torcerão a favor?Eu não acredito.
As semifinais ocorrem apenas depois da Copa do Mundo, mas a promessa é jogos bem disputados e repleto de emoções. Vamos aguardar.
Até a próxima!