domingo, 29 de junho de 2014

COPA COM DOMINGO DRAMÁTICO - Por Rodrigo Curty

O domingo de futebol na Copa do Mundo da Fifa foi eletrizante e repleto de drama para os envolvidos, seja nas quatro linhas, nas arquibancadas ou em qualquer lugar que pode ser assistido.
Às 13h na Arena Fortaleza, Holanda e México fizeram um grande duelo. Com oportunidades para os dois lados, calor infernal e uma determinação de todos para conseguirem o objetivo de passarem às quartas de final foi digno de aplausos e reconhecimento.
O México conseguiu abrir o placar, poderia ter definido a partida, mas cometeu um dos maiores erros do futebol: o de recuar e chamar o adversário na hora errada.Vencendo por 1x0, com um belo gol de Giovani dos Santos, os mexicanos preferiram usar a estratégia que em muitos casos dá certo, mas dificilmente contra uma seleção repleta de craques como a da Holanda, que mesmo sumidos, quando dão o ar da graça, decidem. Esse foi o caso do camisa 10 Sneijder. O meia marcou um belo gol. Uma bomba que nem mesmo o ótimo goleiro Ochoa poderia defender. O arqueiro mexicano, aliás, esteve bem no duelo contra Robben e cia. Fez pelo menos três belas defesas. Mas o ditado de pedra mole, água dura, tanto bate até que fura deu as caras. E o que já era drama para ambos, principalmente para os holandeses, nitidamente exaustos com o calor, foi pior para os mexicanos. Se no fim da primeira etapa, ao meu ver e de muitos houve dois pênaltis no mesmo lance em Robben, e o juiz mandou seguir, nos acréscimos, quando todos já imaginavam uma prorrogação, eis que surge o pé de Rafa Marques no camisa 11, pênalti em salto exagerado. Era a chance de evitar o que poderia ser a eliminação. Coube ao atacante Huntelaar a responsabilidade da cobrança. Ele entrou no lugar de Van Persie e não pipocou. Ochoa para um lado e bola para outro. Esses foram os seis minutos mais dolorosos para o México e os mais comemorados da Holanda nessa copa. Vida que segue.
Já na partida de fundo, na Arena Pernambuco, tivemos outro jogo dramático. Após um primeiro tempo horroroso, com cara de Brasileirão, ou seja, partida com bastante falta, jogadas sem fundamentos, erros infantis, mas aos poucos, a partida tomou um outro rumo. A sensação Costa Rica abriu o placar com Bryan Ruiz, mas a Grécia com um a mais, desde os 20' do segundo tempo e, com a velha raça, determinação e entrega até o último instante chegou ao justo empate no apagar das luzes com Sokratis. Na prorrogação para quem esperava a Grécia resolvendo logo no primeiro tempo viu duas equipes assustadas em não levar o gol.Desta forma, o cenário não poderia ser outro que não a decisão nas penalidades. Todos bateram bem até a quarta cobrança grega. O experiente Gekas cobrou forte, mas o ótimo goleiro, Keylor Navas fez uma defesaça. Daí coube então ao zagueiro Umaña decretar a histórica classificação de sua seleção. Vitória de 5x3 que premia essa seleção sensação da copa. Parabéns a Grécia e boa sorte a Costa Rica contra a favorita Holanda.
Amanhã tem mais. Até a próxima!