terça-feira, 24 de junho de 2014

DÉCIMO TERCEIRO DIA DE COPA - Por Rodrigo Curty

O 13º dia de Copa do Mundo da FIFA teve uma curiosidade. As Seleções que jogavam pelo empate deram adeus, entre elas mais uma europeia. Não estou falando da Inglaterra, que já eliminada encarou na Arena Mineirão a Costa Rica, que com o empate sem gols terminou como líder do grupo D, o considerado da morte com sete pontos ganhos. Eu falo da tetracampeã Itália que na Arena das Dunas, em Natal mediu forças com a aguerrida Seleção do Uruguai. 
O duelo esteve longe das expectativas, mas não faltou garra, vontade de vencer de ambas até o último minuto. A Azurra jogava pelo empate, mas teve problemas com a arbitragem que interpretou falta para cartão vermelho direto de Marchisio em Arévalo Rios aos 14' da etapa final, e que acabou atrapalhando os planos do técnico Pradelli. Do outro lado, Oscar Tabárez mandou o time pra frente e na bola parada chegou a vitória de 1x0, gol de ombro do capitão Godín, que garantiu passagem às oitavas de final.
A eliminação da Itália novamente na fase de grupos deve trazer outros problemas, uma vez que treinador e o presidente da federação italiana pediram demissão. Foi o fim de uma era brilhante de Buffon e Pirlo e a expectativa da nova geração não é nada promissor.
No Uruguai, o resultado também foi histórico, pois a Azurra antes havia perdido apenas 3 de seus 19 jogos contra adversários sul-americanos em Copas: Chile em 1962, Brasil na final de 1970 e novamente o Brasil na disputa de terceiro lugar em 1978. As três derrotas ocorreram justamente no continente sul-americano.
Por fim, o destaque negativo da partida foi a mordida do atacante Luis Suárez no ombro do zagueiro Chiellini na área, mas que a arbitragem não viu, por isso nada aconteceu. Mas fatalmente o ótimo atacante será punido pela FIFA e, consequentemente pode até dar adeus de forma  precoce da Copa. Essa até o fantasma uruguaio que segue vivo no Brasil, está com medo. Vamos aguardar. Certeza mesmo é que a Celeste terá pela frente outra Seleção Sul-Americana, a surpreendente Colômbia que passou pelo Japão como conto abaixo.
Vamos lá, pelo grupo C, a líder Colômbia passeou contra o Japão na Arena Pantanal. A vitória maiúscula por 4x1 provou que independente do grupo ter sido considerado fraco tecnicamente, o fato é que sem a presença do craque e ídolo Falcão Garcia, muitos deram a Colômbia como eliminada. Agora o foco é o mata-mata e sinceramente vejo a torcida febre amarela contagiando os estádios brasileiros por mais tempo na Copa. O confronto contra o Uruguai é equilibrado, mas a Celeste chega baleada e provavelmente sem sua referência ofensiva, mas tudo pode acontecer. Sorte de quem estará presente no Maracanã.
Na outra partida do grupo, o destaque foi o drama. Costa do Marfim e Grécia sonhavam com a vaga e para os africanos bastava apenas o empate no Estádio Castelão, em Fortaleza. O que se viu foi uma Grécia mais ofensiva, menos técnica e com muita dedicação para avançar pela primeira vez na história, a fase de oitavas de final. O gol suado da vitória de 2x1 veio aos 47', em um pênalti polêmico, porém interpretativo em cima de Samaras, que assumiu a responsabilidade, bateu e correu para o abraço. O outro gol grego foi marcado por Samaris, para a Costa do Marfim, o gol de honra foi de Bony. Agora os gregos medem forças contra a surpreendente Costa Rica, na Arena Pernambuco.Será que conseguem mais? Eu acredito que não, mas é melhor aguardar.
Até a próxima!