terça-feira, 17 de junho de 2014

SEXTO DIA DE COPA - Por Rodrigo Curty

O sexto dia de Copa do Mundo da FIFA teve o Brasil em campo. Mas antes teve a possível sensação Bélgica e no apagar das luzes a "caseira" Seleção da Rússia. Vamos aos destaques do dia.
A primeira partida foi entre a Bélgica que não jogava a Copa desde 2002 contra a Argélia na Arena Mineirão, que diga-se de passagem teve problemas antes da partida. Um argelino invadiu o campo no momento de aquecimento e a falta de itens em um dos bares do estádio, causou invasão que foi contida apenas com a chegada da polícia. No campo, os Diabos Vermelhos sofreram para chegar a virada de 2x1, gols de Fellaini e Mertense. Fora isso reconheceram, diferente dos brasileiros que é um time inexperiente e, contaram com o cansaço dos africanos que fizeram de tudo para suportar a pressão.Os belgas devem crescer no torneio e os africanos, quem sabe surpreender na segunda colocação. 
Na segunda partida do dia, na Arena Castelão, em Fortaleza, uma decepção. O Brasil encarou o México, e para quem esperava uma goleada, viu o goleiro mexicano Guilherme Ochoa ser o protagonista do empate sem gols. A seleção brasileira esteve desorganizada em campo e apresentou os mesmos problemas da partida contra a Croácia. As avenidas nas laterais, a falta de criação meio - ataque, as substituições equivocadas, a falta de opções táticas para mudar a partida, enfim, entendo que faltou a Felipão entender melhor o jogo, a ousar de forma correta e não óbvia. 
Fechar um grupo, valorizar o elenco, manter a confiança em quem não está bem, isso tudo é válido, mas se levou 23 jogadores, tinha que ter coragem para mudar tudo o que acredita e não vem dando certo do que manter a teimosia. Por exemplo, um meio-campo ofensivo poderia ser formado por Luiz Gustavo, Fernandinho, Hulk ou William e Oscar. Se preferir a contenção, basta tirar William ou Hulk e manter Ramires. 
O problema é que está nítido que os jogadores fazem funções erradas em campo. É um conglomerado, não há esquema definido e sim muita vontade em acertar, seja do jeito que for. Ora, veja pelas laterais. É necessário mudar urgentemente esse setor. Em ambas as partidas foi um passeio dos adversários. Daniel Alves e Marcelo afunilam as jogadas, ou seja, não há ultrapassagem. Oscar e Neymar precisam estar mais juntos e não cada hora um numa ponta. Falta o chute de longa distância e menos dependência de bolas paradas.
Vejo a Seleção Brasileira muito emotiva, preocupada em não conseguir o título, e o que isso poderia causar nos torcedores. Devem esquecer isso e jogar para ganhar, mas sabendo que também faz parte da vida perder. A falta de experiência está sendo decisiva. Longe de questionar se é certo ou errado os nomes chamados, mas entendo que mesmo em má fase que nomes como de Kaká, Paulo Henrique Ganso, Diego, Luis Fabiano, Robinho poderiam estar na lista, afinal teria, apesar da falta de experiência em alguns, mais qualidade no passe e opções para dividir a responsabilidade com Neymar, que deve ter a sua "Copa" apenas na Rússia.
Menos mal que o próximo adversário será Camarões.Mesmo que os 'Leões" passem pela Croácia, o que não acredito, contra o Brasil será derrotada, e podem anotar de uma forma categórica.O problema não será esse jogo, mas sim às oitavas provavelmente contra as experientes Holanda ou Espanha. Haja coração.
Por fim, a Rússia, que é a única seleção que trouxe apenas os jogadores que atuam no país sofreram para arrancar o empate em 1x1 contra a seleção da Coreia do Sul. Destaque da partida foi o "frango" do goleiro russo Akinfeev que originou o gol dos coreanos. Na próxima rodada a Rússia encara a Bélgica, e a Coreia a Argélia. Grupo equilibrado.
Até a próxima!