domingo, 1 de junho de 2014

ORGULHO DA NAÇÃO - Por Rodrigo Curty

O torcedor do Flamengo não sabe quando deixará de sofrer com os resultados, gestão e problemas vividos no futebol, mas por outro lado pode comemorar e muito, a excelente fase que vive o basquete do clube.
No último sábado, o rubro-negro conquistou o tricampeonato da NBB. 
O adversário desta vez, foi o valente time do Paulistano, que chegou pela primeira vez a final da competição e perdeu porque o Flamengo, mesmo aquém tecnicamente como nas partidas anteriores, mostrou que a camisa cobra e pesa, e que quando usada com raça e coração dificilmente decepciona.
A final que foi jogada em partida única foi eletrizante. Sorte dos presentes na Arena da Barra, no Rio de Janeiro que viram um 78 a 73 digno de final.
O basquete prova que quando o trabalho é bem feito nas partes técnica, tática e fisicamente tudo dá certo, isso sem falar na relação importante que tem o treinador e seus comandados. Todos dividem as opiniões, responsabilidades, choros e alegrias. Ninguém busca culpados quando algo saí fora do planejado.
A alegria do Flamengo no basquete é justa. O time é muito forte, focado e sem estrelismo. O elenco não se entrega, mesmo quando enfrentam problemas internos, promessas não cumpridas, e por aí vai. Hoje o basquete é disparado o orgulho da nação. 
O elenco é composto de feras como Marcelinho Machado, que mesmo com 39 anos não para de encantar e  ser cestinha das partidas. Foi assim também na final, quando marcou 16 pontos ao lado do pivô americano Jerome Meyinsse, eleito o MVP da decisão. 
Outro craque, Marquinhos, que no dia da final completou 30 anos, e ganhou "parabéns pra você" da arquibancada e comemoração dos companheiros em quadra. Se no futebol do clube, o argentino Mugni não decola, nas quadras o papo é outro. Nico Laprovittola é amado pela torcida e retribui muito. 
No ano o basquete rubro-negro já havia vencido o Campeonato Estadual e a Liga das Américas e, agora foca as suas atenções para a disputa, em setembro, do Mundial de Clubes contra o Maccabi Tel Aviv, de Israel. 
É aguardar para ver, mas as chances do time carioca que hoje conta com o elenco formado por Laprovittola, Marquinhos, Marcelinho, Olivinha, Meyinsse, Shilton, Gegê, Washam, Felício e Benite sob o comando de José Neto, de também vencer essa é enorme. 
Até a próxima!