quarta-feira, 23 de julho de 2014

GALO FORTE E DÉRBI EQUILIBRADO - Por Rodrigo Curty

E a semana deu uma parada no campeonato brasileiro, mas a bola rolou pela Copa Libertadores, Copa do Brasil e pela final da Recopa Sul-Americana.
Antes do torneio que leva o campeão a disputa da Libertadores de 2015, vale e muito o registro do Atlético MG. O Galo conquistou nessa noite seu quarto título internacional. A vitória foi suada e do jeito que uma final dramática e inesquecível deve ser. O Lanús, que foi derrotado na primeira partida por 1x0, na Argentina deu muito trabalho e valorizou demais a conquista dos mineiros. 
Curioso é que o dia 24/07 foi a mesma data da conquista da Libertadores pelo Galo no ano passado e, assim chegou ao seu segundo título internacional em 365 dias. 
No tempo normal, o Lanús venceu por 3 a 2, tinham mais pernas, porém sucumbiram aos atleticanos. Com falhas de Goltz e Ayala, que marcaram contra e determinaram a vitória de 4x3 na prorrogação e festa alvinegra no Estádio do Mineirão. Parabéns ao Clube Atlético MG.
Agora a Copa do Brasil. O Vasco foi até Campinas para encarar a Ponte Preta e se deu muito bem. Vitória de 2x0 e tranquilidade para a partida de volta. Situação na Macaca é bem turbulenta. Já Palmeiras e Corinthians também vencera.
Na linda Florianópolis, no estádio da Ressacada, o Verdão retomou o caminho das vitórias. Com dois gols de Felipe Menezes, os comandados de Ricardo Gareca triunfaram por 2x0 e agora podem voltar as atenções ao Brasileirão, torneio esse que preocupa a equipe. 
E o Corinthians? Pois é, o Timão de vez provou que sua Arena pode ser um alçapão para os adversários. Sobrando em campo, a equipe atropelou o Bahia por 3x0. O time aos poucos ganha a cara de Mano Menezes e tem tudo para ir longe no torneio, mas toda a calma é pouca.
No domingo, pelo Brasileirão será a hora de sabermos quem está mais bem preparado para dar sequencia nos bons resultados. O Dérbi promete fortes emoções na Arena Corinthians. O mandante leva vantagem pelo elenco e opções no banco, mas o alviverde tem a tradição e em clássico tira forças inimagináveis. A torcida é para que a violência passe longe também fora do gramado. 
Até a próxima!