terça-feira, 29 de julho de 2014

A VOZ DO CORAÇÃO - Por Rodrigo Curty

E como já dizia o ditado " Nada como um dia após o outro". Pois é, após ser crucificado, criticado, colocado contra a parede e aparentemente deixar claro que o futuro seria de dar um tempo nas quatro linhas para se reciclar e refletir sobre tudo que aconteceu, eis que Luiz Felipe Scolari, o Felipão preferiu ouvir a voz do coração.
O ex-técnico da Seleção Brasileira acertou sua volta ao Grêmio após 18 anos. Foi no tricolor gaúcho que Scolari teve seus principais momentos de glória. É o treinador mais vitorioso do clube. O pedido feito pelo presidente  gremista Fábio Koff, em São Paulo foi atendido de imediato. A dupla é a mesma da trajetória de títulos iniciada em 1993. Na ocasião, a pressão era enorme, mas os treinadores aparentemente tinham mais tempo para trabalhar. Felipão demorou um pouco para engrenar, mas quando engrenou deu no que deu. No período de três anos à frente do clube (1993 a 1996) conquistou uma 
uma Copa do Brasil(94), uma Libertadores (95), uma Recopa Sul-Americana(96), um Brasileirão (96) e três campeonatos gaúchos(93, 95 e 96).  Em sua primeira passagem em 1987, o treinador foi campeão gaúcho.
Desta forma, com tanta história positiva, é simples entender porque o período de férias foi jogado para escanteio. Se Felipão admite que não deve nada para ninguém por causa da goleada humilhante sofrida pela Alemanha nas semifinais por 7x1, o fato é que isso realmente não reflete no seu histórico vitorioso, porém está mais do que claro que hoje os tempos e o futebol jogado no mundo são outros. Exige reciclagem e humildade, vontade de colocar em prática novos ensinamentos e principalmente treinar e esquecer o tal "futebol força" jogado sozinho. A fórmula funciona, desde que alinhada com o "Tic Tac" e paciência para atacar na hora certa e defender com um propósito.
Não que precise, mas Felipão tem nas mãos a chance que pediu a Deus. A de poder calar os críticos e provar que jamais deixou de ser um técnico vencedor. Ter a chance de retribuir a torcida a partir de amanhã em sua apresentação que promete ser eufórica o que reflete em sua frase dada através de sua assessoria de imprensa: "Estou muito contente e retornar ao clube que sempre tive carinho. Quero realizar novamente um grande trabalho no Grêmio. Estarão junto comigo o Murtosa e Ivo Wortmann que farão um trabalho integrado com a base do Grêmio".
Faça a sua aposta. A minha é de que Felipão terá muito trabalho e necessitará de paciência e vontade de mudar o estilo atual. As chances e elenco para isso ele tem, basta saber se a preguiça dará lugar ao desejo de voltar a ser grande.
O primeiro capítulo não poderia ser melhor. A reestreia no comando será justamente contra o maior rival tricolor, o bom time do Internacional. Esse Gre-Nal, no Beira-Rio, dia 10 de agosto promete fortes emoções.
Até a próxima!