sábado, 5 de julho de 2014

DEU A LÓGICA - Por Rodrigo Curty

E foram conhecidos os dois últimos semifinalistas da Copa do Mundo da Fifa. Deu a lógica. Argentina e Holanda medirão forças na Arena Corinthians, na próxima quarta-feira. Vamos as análises.
A Argentina encarou uma das sensações da copa, a Seleção da Bélgica, no estádio Nacional, em Brasília e decidiu a classificação logo no início da partida com Higuaín.O artilheiro não marcava há 83 dias, mas fez quando precisou, afinal a Argentina não chegava às semifinais desde a Copa de 90, na Itália. A partida não teve muitas oportunidades. A defesa sul-americana esteve impecável, mas os diabos também respeitaram demais e pareciam estar com o freio de mão puxado. De qualquer maneira, mesmo com Messi bem marcado, as chances de aumentar o placar existiu. O mesmo Higuaín fez bela jogada e viu o seu chute estourar no travessão de Courtois, o goleirão que mais uma vez parou Messi, já nos acréscimos.
A torcida enlouqueceu no apito final e milhares ficaram no estádio por longos minutos. Estavam em êxtase, confiantes que finalmente o título é real. Será? Vale ressaltar que o craque Di María saiu lesionado e mesmo que não confirmem, eu não acredito que jogue mais no mundial. Vamos aguardar.
O adversário da Argentina será a poderosa e envolvente Holanda. A Laranja encarou a Costa Rica, seleção que calou muitos palpiteiros e joga sem medo. Hoje o que se viu foi Keylor Navas, o arqueiro da equipe dos Ticos fechando o gol. Van Persie, Sneijder, Robben, ninguém conseguia quebrar o paredão. Era ataque contra defesa, e muitas chances perdidas. O tempo ia passando e o desgaste holandês era nítido. Apesar do 0x0, na Arena Fonte Nova, local que viu mais gols nesse mundial, a partida foi eletrizante. No final do segundo tempo era o split final da Holanda e a chance parando na trave. Veio a prorrogação e nada da bola entrar. Os comandados de Van Gaal não tinha mais pernas e paravam novamente em Navas e na trave. Muitos não acreditavam na vitória e sim na zebra Costa Rica, afinal, nos pênaltis não existe favorito, mas sempre aparece uma estrela que brilha. Nesse caso, o herói foi o goleiro Krull. Ele entrou faltando um minuto, irritou de certa forma o titular Cillessen, que salvou o gol da Costa Rica no apagar das luzes, evitando a tragédia, mas no fim todos comemoraram. Sim, Krull acertou todos os cantos e pegou as cobranças de Brian Ruiz e Umaña, mas também viu seus companhairos baterem todas as cobranças com precisão. A Laranja Mecânica tem tudo para chegar ao seu primeiro título mundial, mas antes que venha a Argentina para manter a invencibilidade. E parabéns a Costa Rica que saí de cabeça erguida e confiante que nas próximas copas voltará a surpreender.
 Até a próxima!