segunda-feira, 21 de julho de 2014

SINAL DE ALERTA NO FLAMENGO - Por Rodrigo Curty

E ainda tem muito clube em ritmo de final de Copa do Mundo, torcedores atentos apenas às mudanças na Seleção Brasileira, entre outras coisas, mas não podemos nos esquecer que muita coisa já rola pelo Brasileirão, série A.
Já se foram duas rodadas pós- Copa e o que se pode ver é um Cruzeiro cada vez mais forte e sem adversários com a mesma regularidade, força no banco de reservas e conjunto. A Celeste é líder do certame com 25 pontos, cinco a mais que o Corinthians, que assim como São Paulo, a dupla Gre-Nal e o Fluminense devem lutar pelo título.
Já os tradicionais clubes como Flamengo, Botafogo, Palmeiras e Atlético MG decepcionam, porém acredito que não serão rebaixados. Nada contra quem fez um ótimo planejamento e fazem bem a lição de casa que é o de vencerem em seus domínios, casos de Atlético PR, Sport, Criciúma, por exemplo. Por outro lado, equipes como Goiás, Santos, a dupla Ba-Vi e os catarinenses da Chapecoense e Figueirense vão precisar provar que contam com fôlego para suportar a pressão e se manterem na elite. 
É bom que se diga que que o papo de que ainda é cedo para se preocupar, pois estamos na 11ª rodada, falta muito e tal não vale a pena ser considerado. A cada ano, os times considerados mais fortes e tradicionais caem para a Série B. Se os que ficam ou sobem não agradam por não contarem com a grife esperada pelos torcedores que desejam um torneio mais requintado e elitizado, devem no mínimo serem respeitados. 
O que me preocupa é o jogo de interesses. O que aconteceu no final do ano passado não pode voltar a acontecer. Se algum grande não for bem, deve pagar com a queda. O futebol brasileiro está longe de se reestruturar da forma que merece. Os clubes são falidos, desestruturados, estão nas mãos de empresários e emissoras, mas para o bem da credibilidade e evolução, o Brasileirão tem que ser decidido apenas no campo, sem armações para A ou B.
Por isso é bom que se diga que os que hoje lutam para sair da zona de perigo vençam no campo. Longe de desmerecer clubes como Vitória, Figueirense e Coritiba, mas o destaque principal de quem está lá embaixo é o Flamengo. O clube carioca é o lanterna da competição e já faz a sua pior campanha em início de pontos corridos. A diretoria é muito imatura, não possui preparo para resgatar o futebol do clube, conta com problemas financeiros, mesmo que bem melhores que os de outros tempos, mas está perdendo aos poucos sua maior riqueza, sua torcida. Os ingressos são altíssimos, o programa sócio-torcedor é amador e a falta de "troca" é no mínimo ridícula.
O torcedor rubro-negro está cansado de ser tratado desta forma e nem por isso deixa de apoiar e estar presente em mais um momento difícil do clube, porém penso que não é com essa atitude violenta e de ameaças dos torcedores marginais disfarçados de flamenguistas que os problemas serão resolvidos. A melhor resposta a ser dada, e essa dos verdadeiros torcedores é a de sumir dos estádios, não apoiar e exigir o que entende ser de direito, ou seja, preços mais baixos, incentivo para acompanhar o clube.
Hoje questionam e de forma correta o trabalho de Ney Franco, afinal em sete partidas a frente do clube, foram quatro derrotas e três empates, por muito menos Jayme de Almeida caiu. O pior é o alto salário e a junção com o diretor de futebol Felipe Ximenez que é vista com maus olhos. Se o mercado está fraco para quem não conta com saúde financeira, a receita é trabalhar exaustivamente a parte técnica e emocional para sair dessa situação, caso contrário, o rubro-negro deverá buscar outro esporte para torcer.
Vamos aguardar as mudanças, pois a cúpula se reunirá nesta segunda-feira em busca de soluções imediatas. Será que dará resultado? Só o tempo irá dizer.
Até a próxima!