quinta-feira, 4 de setembro de 2014

A FORÇA DO RIO - Por Rodrigo Curty

Há pelo menos dois meses pude verificar em várias emissoras, especialistas, torcedores, entre outros que gostam e discutem o futebol que nesse ano não teria jeito, o Flamengo seria rebaixado porque o time é limitado, a administração cometeu erros de percursos, existe um racha, enfim.
Muito bem, após a goleada sofrida pelo Internacional por 4x0, Ney Franco foi demitido e reestreou Vanderlei Luxemburgo. A desconfiança existia é óbvio, mas também a certeza, pelo menos da minha parte, e tenho isso registrado antes mesmo da estreia dele no comando na vitória de 1x0 sobre o Botafogo, que diga-se de passagem quebrou uma sequência negativa de oito partidas do clube sem triunfar, que se ele admitisse que precisava tanto do Flamengo como o clube dele, ambos poderiam se dar bem. Hoje, pelo menos por enquanto o namoro está de vento em popa.
A sequência de cinco vitórias seguidas no Brasileirão, a autoestima retomada para voos maiores e o mais importante, a humildade de todos em admitir que o trabalho está sendo feito, mas conhecendo as limitações são apenas algumas das razões do sucesso.
Sucesso esse que teve mais um capítulo, agora pela Copa do Brasil. Após ser derrotado por 3x0 na semana passada pelo Coritiba, no Couto Pereira, ontem no Maracanã a expectativa era de ver um time no mínimo valente e tentando reverter a adversidade. Não é que deu certo? Longe de ter ido bem tecnicamente, mas a velha garra, determinação e obediência tática entraram em campo, misturado com a sinergia da torcida que jamais deixou de jogar junto. O placar de 3x0 foi devolvido e com ele os velhos tempos de dramaticidade, nervosismo e cenas inacreditáveis do rubro-negro.
As penalidades foram de deixar qualquer torcedor a beira da loucura. No fim, a vitória de 3x2 e classificação garantida as quartas de final para encarar o surpreendente América-RN.
Outro carioca que jamais deve ser desrespeitado é o Botafogo. O Glorioso atravessa um momento bem complicado em sua rica história. Dívidas com jogadores e funcionários, entre outras beirando os R$ 65 milhões. O enorme desafio de quitar essa quantia até o fim do ano deve juntar até rivais políticos, afinal entendem que o clube é maior que tudo isso. Fora isso se desfazer de jovens promessas e pedir ajuda a torcedores ricos. Se nos bastidores a situação é complicada, dentro do campo aparentemente as coisas tomam um rumo mais equilibrado. Vagner Mancini  vem fazendo um belo trabalho técnico e emocional em seu elenco. Todos sabem das dificuldades e lutam para não sofrerem piores consequências. No Brasileirão o time já consegue respirar e ontem na Copa do Brasil conseguiu uma vitória memorável.
Se na partida de ida, no Maracanã, o bom time do Ceará, que deve voltar a elite em 2015 venceu por 2x1, ontem no Arena Castelão teve de tudo. Calor, chuva, apagão, gols perdidos, erros e acertos da arbitragem e dois gols em menos de dois minutos, justamente o da classificação às quartas. Sim, o Botafogo pelo incrível que possa parecer saiu na frente, levou a virada e quando menos se imaginava, chegou a vitória de 4x3, daquelas para lavar a alma e sonhar que coisas ainda melhores estão por vir. É aguardar para ver.
Até a próxima!