terça-feira, 2 de setembro de 2014

O GIGANTE SE APEQUENOU - Por Rodrigo Curty

O futebol brasileiro, ao meu ver, apesar do belo marketing e insistência de muitos que entendem que é um dos melhores do mundo ainda está muito aquém das expectativas.
As questões técnicas, financeiras, organizacionais, enfim não empolgam em sua totalidade.
A prova disso é a diferença dos clubes, para não se alongar muito das séries A e B.  Diferença? Pois é, acredite você ou não e, sinceramente se analisarmos friamente, veremos que a maioria dos clubes de uma série ou da outra são parecidos.
Ora, se no torneio que conta teoricamente com equipes medianas, folha salarial baixa e péssimas estruturas, o equilíbrio é tanto que hoje dentre os times que subiriam estariam de fora o Vasco da Gama, Ponte Preta, Náutico e Portuguesa, esse lutando inclusive para não cair para a série C. Esses quatro foram os rebaixados do ano passado. Isso sem falar que o ABC-RN eliminou nessa noite o Vasco nas oitavas da Copa do Brasil e o Bragantino que luta pela permanência na B pode eliminar o Corinthians amanhã.
Muito bem, mas por que ocorre esse tipo de situação? Não é porque não existe mais time bobo, que futebol é decidido nos 90 minutos, pode até fazer parte do contexto, mas a questão é que não há um super time no Brasil. Exceção talvez pelo Cruzeiro que rema de braçada, porém muito mais pelo fato de ter um elenco homogêneo, rodado e com experiência de sobra nesse tipo de competição do que por ser um esquadrão. O mata-mata na Copa do Brasil poderá provar isso adiante.
Hoje, como já dito anteriormente, o Vasco foi eliminado da Copa do Brasil. Perdeu a vaga para o mediano ABC-RN que vai mal na série B e que agora medirá forças com o Cruzeiro. É importante que se diga que não é de hoje que esse torneio apresenta zebras inesperadas.
O Cruzmaltino conta hoje com uma péssima administração. Não é exclusividade, sabemos, mas pelo fato de continuar recebendo a mesma cota do que receberia na série A, o mínimo que se espera é que faça a sua parte. Na quinta colocação e com pressão de torcedores a tendência é do clube ir de mal a pior.
Não acredito nisso, o time carioca vai subir e se bobear ainda será o campeão, pois mesmo atravessando o pior período sem vitórias na temporada(cinco jogos) conta com um elenco acima dos outros e de alto valor, afinal nomes como o de Martín Silva,  Rodrigo, Diego Renan, Guiñazú, Douglas, Pedro Ken, Kléber, Maxí Rodríguez poderiam estar em qualquer time da elite. Isso sem falar que a todo momento o G4 sofre alterações. 
Muita coisa vai mudar pelos cantos de São Januário.Vai chegar um novo técnico, as eleições indicam que Eurico Miranda possa voltar ao comando, o que penso ser péssimo, pois independente do clube voltar a vencer, os bastidores voltarão a ser manchado pelas manchetes negativas de administração, desvios, enfim, não cabe a mim julgar. O que posso dizer é que o Vasco da Gama é maior que tudo isso que passa, porém sem comprometimento irá comprometer todo um planejamento e manchará a história do clube como sendo o primeiro campeão brasileiro que caiu e não subiu no ano seguinte. Será? Vamos aguardar.
Até a próxima!