sexta-feira, 31 de outubro de 2014

A REFERÊNCIA DE NOME MICHEL - Por Rodrigo Curty


E a bola rolou na noite de quinta-feira pela Copa Sul-americana. O São Paulo, único representante brasileiro na competição encarou o Emelec (EQU). O tricolor, campeão em 2012, apesar de cansado fez uma partida que de tranquila por pouco não vira tragédia.
Ainda sem o quarteto fantástico, uma vez que Alexandre Pato sengue com problema na coxa esquerda, restou a Paulo Henrique Ganso, Kaká e Alan Kardec dar a conta do recado. Calma, esqueço-me de um jogador que a cada partida faz a diferença e se torna a principal referência tática de Muricy Ramalho. Michel Bastos.
O jogador que no Brasil jogou no Grêmio, Atlético PR e teve uma excelente passagem no Figueirense, fez sua carreira na Europa, onde atuou no futebol holandês, francês, alemão e italiano. De lateral-esquerdo, rapidamente passou a ala ou meio-campista como preferir. Isso encantou o treinador.
Desde agosto quando chegou, Michel era visto como uma incógnita, ainda mais com as duas expulsões de cara. Mas nada como um bom papo com quem manda e sabe lidar com esse tipo de dificuldade emocional. Hoje o camisa 7 é talvez a peça mais importante do esquema da equipe por sua polivalência. Joga de lateral, volante, meia e até atacante. É um jogador de um ótimo chute e que joga para o grupo. Deve crescer de produção, principalmente em caso de título.
No torneio Sul-americano o caminho está sendo traçado. Ontem, apesar do susto, no final deu tudo certo. Após abrir 3x0 no placar, gols do próprio Michel Bastos, Hudson e Alan Kardec e dominando as ações, o famoso apagão defensivo do tricolor deu suas caras na etapa final. Com uma marcação longe e desorganização tática principalmente entre os defensores e os volantes, o bom time equatoriano começou a gostar do jogo. Sem segurar a bola e tocando rápido chegou facilmente em dois gols antes dos 10’, sendo um deles em uma falha de Rogério Ceni.
A torcida ficou apreensiva e preocupada com o que via. O jogo a partir daí era lá e cá. Mas o ímpeto dos visitantes não foi suficiente para chegar ao empate, ao contrário, aos 24’, Antônio Carlos trouxe a calma novamente para o São Paulo ao marcar o quarto gol. Daí para frente foi administrar e levar a boa vantagem para o jogo de volta, na quarta-feira que vem. O São Paulo pode até perder por 1x0 que se garante nas semifinais.
Até a próxima!