sexta-feira, 17 de outubro de 2014

GLORIOSO À BEIRA DE NERVOS - Por Rodrigo Curty


E a crise no tradicional Botafogo de Futebol e Regatas parece não ter fim. O time que luta no Brasileirão contra a queda à série B, está a cada dia com mais problemas. É uma realidade que machuca do presidente Maurício Assumpção ao torcedor.
O comandante voltou as atividades nessa semana, após ter ficado ausente por 10 dias, período no qual demitiu quatro jogadores do elenco: Emerson Sheik, Edilson, Júlio Cesar e Bolívar. O quarteto, por sinal fez duras críticas ao clube, reclamou da falta de compromisso com os funcionários, estrutura para treinar, mas também elogiou o treinador Vagner Mancini.
Não posso julgar e nem defender A ou B, mas o que é certo é que no mínimo, Assumpção deveria se encontrar com os jogadores para explicar o motivo da dispensa. Se o clube vai de mal a pior, a eliminação da Copa do Brasil deve trazer graves consequências.
A goleada para o Santos, no Pacaembu por 5x0 e ainda sem três de seus principais jogadores como Robinho, Thiago Ribeiro e Leandro Damião caiu como uma bomba em General Severiano.
O curioso é que em certos momentos da partida o alvinegro carioca teve chances de marcar, mas quando a fase é ruim, não há quem salve. Para piorar, o ídolo e goleiro também da Seleção Brasileira Jefferson não apareceu no hotel em que o clube se hospedou em São Paulo e foi do aeroporto direto para o Rio de Janeiro, alegando dores musculares para se ausentar do confronto.  A situação foi o suficiente para causar mal-estar na comissão técnica, que cá entre nós, sem pagar os salários da equipe não terá moral para cobrar um ou outro, porém o atleta que não deseja jogar na atual circunstância deveria pedir para sair e dar uma satisfação à torcida que não está nem aí se ganham ou não para jogar e, sim se honram a camisa do clube quando exigidos.
O elenco é fraco, reduzido e pior, a geração de garotos que podem vir à dar certo se queima a cada jogo. Falta experiência, atitude para mudar o cenário e união de todos.
Assim, a tendência, por mais que tenhamos equilíbrio no torneio nacional é vermos o Botafogo lutar contra a queda até o fim. Hoje na penúltima colocação com 29 pontos, terá pela frente três jogos cruciais para sua permanência. Sport, em Volta Redonda, Coritiba fora e o clássico contra o Flamengo. Será que dá para acreditar na trinca? Há duas semanas, por exemplo, o Palmeiras vivia situação parecida e fez mesmo que por enquanto a sua parte. Vamos aguardar para ver, até lá, o que é certo afirmar é que o coração que leva a Estrela Solitária baterá mais forte e com dor.  
Até a próxima!