domingo, 30 de novembro de 2014

JOINVILLE CAMPEÃO DA SÉRIE B - Por Rodrigo Curty


O Brasileirão da série B foi contra o que podemos chamar de lógica no futebol, mesmo sabendo que isso nesse tipo de matéria não é algo comum. O futebol brasileiro é ruim tecnicamente em todas as suas séries. Para quem esperava ver o Vasco nadar de braçadas se decepcionou. É claro que para a torcida o que valia mais era o retorno para a série A.
Dos outros times que caíram em 2013, pior para a Portuguesa que das lambanças no final do ano passado e das suspeitas de corrupção terá agora pela frente a série C.
Já o Náutico seguirá pelo menos mais um ano na segundona, diferente da Ponte Preta, que mais uma vez ficou no quase para conquistar um título de maior expressão para o clube. A Macaca, independente do vice-campeonato está de parabéns. Diferente de seu maior rival Guarani, prova que com seriedade e os pés no chão os frutos são colhidos. A campanha de recuperação e ficar atrás apenas da outra surpresa do torneio, o Joinville foi um feito histórico.
O terceiro colocado foi o time carioca. Mesmo com um elenco mais caro, jogadores experientes, misturada com jovens e gringos, por pouco não viu o projeto série A ir por água abaixo. O time empatou demais na competição, 15 no total e obteve apenas 16 vitórias e sofreu sete derrotas. Para você ter uma ideia, o Avaí que foi o quarto colocado conseguiu duas vitórias a mais que o Cruzmaltino.
Os rebaixados à série C foram além da Portuguesa, o América de Natal, Icasa e Vila Nova (GO).
O campeonato foi bem equilibrado e também com polêmicas. O América MG que o diga e que por pouco não conseguiu o retorno. De qualquer maneira ficou em ótimas mãos. O time catarinense fez uma campanha excepcional e mesmo perdendo duas e empatando nas últimas três partidas levantou a taça. Foram 21 vitórias, sete empates e dez derrotas. A conquista inédita dá a certeza que a diretoria se planejou de forma correta e profissional. Elenco com salários pagos em dia, comissão técnica competente e objetivo alcançado como de seus rivais do estado no ano passado.
Muito se fala do futebol mineiro e gaúcho, mas não se pode esquecer que com muito menos, Santa Catarina também merece o respeito e a atenção dos que acompanham o futebol. Ano que vem, além do JEC e Avaí teremos a permanência de Figueirense e Chapecoense, um número maior que os representantes do Rio de Janeiro, Minas e Rio Grande do Sul. Ainda não dá para arriscar se permanecerão por um longo período na elite, mas o fato é que a cada dia se percebe que projetos milionários, loucuras de contratações, salários astronômicos de treinadores se torna um problema maior que o sucesso.
Parabéns a Santa Catarina, em especial ao belo time do Joinville, que jamais deixou de acreditar que subiria e que promete mais, será?
Até a próxima!