quinta-feira, 13 de novembro de 2014

NO HORTO QUEM MANDA É O GALO - Por Rodrigo Curty


E a primeira final da Copa do Brasil entre Atlético MG e Cruzeiro foi da forma esperada. Muita pressão de ambas as equipes, brigas de torcedores, provocações e um estádio com apenas uma torcida, o que é lamentável. Minas não é de hoje a grande força do futebol nacional, porém não tem vantagem ou exclusividade quando o assunto é violência nas arquibancadas.

Seria lindo poder reviver o grande clássico com o estádio dividido e cada um fazendo a sua festa particular, mas para o bem da sociedade isso não é possível, mesmo todos sabendo que o problema não é dentro e sim fora do palco das decisões, afinal os vândalos e marginais fantasiados de torcedores sempre se encontram no entorno e pontos agendados, antes e depois para mostrarem quem é que manda. Uma imbecilidade que não tem data para acabar.

Mas vamos falar da final, pois ganhamos mais.

O Galo provou porque é temido e deve ser respeitado no “novo Independência”. A velha máxima de “caiu” no Horto está morto se fez presente, principalmente com o maior rival. Com o jogo de ontem foram oito clássicos desde a reinauguração do estádio e cinco vitórias alvinegras e três empates. De quebra, a escrita nas finais do torneio foi mantida. Sempre no primeiro duelo da final, desde a primeira disputa, no ano de 1989, o time mandante nunca saiu derrotado.

A vitória veio com propriedade e para variar com erro da arbitragem. Luan abriu o placar no primeiro tempo, impedido e Dátolo marcou na segunda etapa. Mais é bem verdade que os comandados de Levir Culpi se aproveitaram das falhas individuais do Cruzeiro para marcar os dois gols e abrir uma vantagem ainda maior para a decisão do dia 26/11, no Mineirão. Poderia ter sido até mais, se não fosse por Fábio, que salvou, entre outras bolas, a mais importante, o chute de Diego Tardelli no final.

Com o placar, as chances do Galo conquistar o inédito título é enorme, mas para isso jamais deve duvidar da força da Celeste que busca o pentacampeonato da Copa do Brasil. A missão dos comandados de Marcelo Oliveira não é fácil, mas o esquadrão ofensivo já provou do que é capaz, principalmente quando precisa de gols. Nesse caso só levantará o título com um 3x0. Se levar um gol terá que fazer o que o rival conseguiu contra Corinthians e Flamengo. Já se conseguir o mesmo placar do primeiro confronto, o campeão será conhecido nos pênaltis.

Faça a sua aposta e até a próxima!