sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O INTERMINÁVEL ROGÉRIO CENI - Por Rodrigo Curty


O futebol brasileiro e por que não mundial terá no ano de 2015 mais alguns momentos com o goleiro Rogério Ceni. Isso mesmo, depois de afirmar que esse seria o último vivido dentro dos gramados, o ídolo são-paulino atendeu aos muitos pedidos de “fica Rogério” e também a do técnico Muricy Ramalho para disputar mais uma Copa Libertadores.
Após altos e baixos na temporada, curiosamente foi depois de falhar contra o Flamengo, no Morumbi que o goleiro se reascendeu para o futebol.
Foram várias partidas em que salvou o tricolor das derrotas e de quebra ofuscou o regular setor defensivo de sua equipe e o ajudou a entrar na Libertadores de 2015 e quase chegar a decisão da Copa Sul-Americana.
Eu sinceramente sempre afirmei que não acreditava no cumprimento da promessa de aposentadoria, em caso do São Paulo chegar ao torneio Continental e devido a ótima fase que o goleiro se encontra.
Infelizmente a carência de ídolos nos clubes brasileiros é tamanha que vale a pena ver o interminável arqueiro artilheiro, que no dia 22 de janeiro completará 42 anos de vida em ação.
O M1to tricolor como sempre promete dar o sangue e conquistar títulos para o clube de coração até o final do novo contrato, datado para 05 de agosto, e que poderá ser postergado, em caso de disputa do mundial no final do ano.
A tarefa do São Paulo não será nada fácil, ainda mais se considerarmos que o elenco precisa de uma reciclagem urgente, principalmente na zaga e nas laterais.
A Libertadores de 2015 será a nona de Ceni como titular. O capitão disputou todas as edições entre 2004 e 2010, e a de 2013. Foi o principal nome na conquista de 2005. Foi reserva de Zetti em 1993 e 1994.
É sabido que o craque deve saber a hora de parar, eu mesmo sou dessa opinião, afinal é melhor lembrarmos dos ídolos pelos ótimos momentos e não pelos decadentes, mas o nível técnico atual do futebol brasileiro permite esse tipo de aventura ou missão do goleiro. É um profissional regrado, honesto e determinado. Não acredito que iria se sujeitar se de fato não acreditasse que pode mais. Foi assim contra o Liverpool, quando necessitando de uma cirurgia afirmou que somente sairia de campo com o terceiro título mundial, no custo que fosse. O final da história nós e Gerrard conhecemos bem.
Desejo boa sorte ao camisa 01 e que sirva de exemplo aos mais jovens que mal escreveram a história nos clubes em que atuam e já exigem mordomias. O profissional enquanto puder deve se doar ao máximo para chegar aos objetivos. Rogério Ceni, aconteça o que acontecer já provou do que é capaz  e quando criticado, jamais fugiu da raia.
Penso, porém que para ele ter sucesso nesse restante de carreira bastará apenas ter os pés no chão, evitar polêmicas, aceitar as críticas e em caso de falhas não esmorecer até mesmo para os são-paulinos, que acredite conta com muitos insatisfeitos com a decisão.
Até a próxima!