sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

HIPOCRISIA FUTEBOL CLUBE - Por Rodrigo Curty


A Copa do Mundo acabou e com ela um legado que infelizmente não ficou no Brasil. Se os país oferece hoje estádios de primeiro mundo, estruturas diferenciadas em algumas cidades, mesmo que ainda longe do ideal e maquiadas, infelizmente o que poderia ter ficado de bom, some cada vez mais dos estádios. Falo da torcida.
Neste final de semana teremos um exemplo disso. O clássico entre Palmeiras e Corinthians terá torcida única.  Isso, infelizmente não é exclusividade no país que um dia foi o do futebol.
As razões para tal situação se dá por diversos fatores. Para o presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, a falta de segurança, a logística que a prefeitura terá que mobilizar para levar menos que 10 mil torcedores do Corinthians e a falta de oportunidade de  arrecadar mais com seus torcedores, aproximadamente R$1 milhão.
No caso do Corinthians o estatuto do torcedor deveria prevalecer. O clube deveria ter direito a carga de 10% dos ingressos. O MP paulista entende que uma única torcida resolve a questão da violência. Vejo isso é uma hipocrisia e inaceitável. Quer dizer que é mais fácil controlar os problemas de violência de um todo da sociedade do que apenas dos “falsos” torcedores que invadem os estádios?
A razão desta alteração se dá também pelo fato de que quando estes se enfrentaram na Arena do Corinthians, cadeiras do alvinegro foram destruídas por falsos palmeirenses. Mas é bom que se diga que não houve nada de mais grave, no que diz respeito a confrontos. Isso é bem arquitetado.
Ora, é cada mais frequente a violência entre os grupos rivais fora dos palcos e até entre si. Então por que não proibir as torcidas organizadas, mesmo que essas entrem disfarçadas? Por que não punir jucidialmente quem gosta dessa afronta? Quem quiser praticar algo fora do que o espetáculo sugere que é torcer, chorar e sorrir pelo seu clube que sumam destes eventos. É bom que se diga que os “marginais” não precisam entrar no estádio para se confrontarem, longe disso, afinal as mesmas se organizam para confrontos antes, durante e depois, uma vez que a impunidade reina no nosso futebol e sociedade.
É triste ver que aos poucos os verdadeiros torcedores estão acabando e se afastando. Os programas sócios-torcedores que cada vez mais ganham força conflita em jogos clássicos. Perde o clube, perde o verdadeiro torcedor de bem. Morre o futebol, mas jamais o fatídico e sempre presente 7x1. Enquanto houver a falta de limites contra os vândalos, continuaremos no aguardo de mais um gol da Alemanha.
Até a próxima!