quarta-feira, 25 de março de 2015

HOJE É DIA DE CHOQUE-REI - Por Rodrigo Curty


E hoje é dia de Choque-Rei. Diferente de outros tempos em que Palmeiras e São Paulo contavam com esquadrões e craques em diversas posições, o fato é que o jogo mexe com o torcedor, independente de ser em uma fase sem muita importância. Hoje ganhar ou perder três pontos, de fato não fará diferença para as equipes, mas para as gozações, sequência de trabalho e tranquilidade para seguir o planejamento da temporada, isso ninguém deve duvidar.
Os comandados de Oswaldo de Oliveira já estão garantidos para às quartas de final, porém a obrigação de fazer bonito diante de um rival será fundamental para provar que o trabalho já colhe aos poucos os frutos esperados.
Já o tricolor está praticamente classificado e também precisa provar que a ótima sequência de quatro vitórias seguidas não é mero acaso. Internamente o time segue pressionado.
O duelo será no Allianz Parque. Local esse que tem tudo para se transformar num caldeirão. Eu disse tem, mas que ainda não aconteceu. O time parece sentir a pressão das arquibancadas e consequentemente tropeça na hora H. Sem saber o que é vencer há 10 clássicos, o Palmeiras ainda carrega o fardo de não ter vencido nenhuma equipe de Série A no ano. Seria hoje? Vamos aguardar. Para quem gosta de curiosidade nunca é demais lembrar que o Verdão venceu o seu último clássico regional há mais de um ano, justamente contra o São Paulo. Vitória de 2 a 0 no Pacaembu.  Este é aliás o maior jejum sem triunfar sobre um dos três rivais.
O São Paulo, por sua vez tem o mesmo problema. Os comandados de Muricy Ramalho não triunfaram em nenhum clássico na temporada. Empatou sem gols contra o Santos e perdeu as duas para o Corinthians. Entretanto, se pensarmos em números, o são-paulino ficará mais animado para a noite. Esse será o 306º confronto em competições oficiais. O tricolor venceu 106 vitórias contra 98 do Verdão.
Os times devem entrar em campo com a seguinte formação.
Palmeiras: Fernando Prass; Lucas, Tobio, Vitor Hugo e Zé Roberto; Gabriel e Arouca; Rafael Marques, Robinho e Dudu; Cristaldo
São Paulo: Rogério Ceni; Bruno, Rafael Toloi, Lucão e Carlinhos; Denilson, Hudson, Paulo Henrique Ganso e Michel Bastos; Alexandre Pato e Luis Fabiano

Até a próxima