quinta-feira, 28 de maio de 2015

AVANTE PEÑAROL DO PARAGUAI - Por Rodrigo Curty

E o que falar do Guaraní, do Paraguai? Pois é, se no início da competição, essa equipe bem menos tradicional que o tricampeão Olímpia e menos badalado que o Libertad, por exemplo era apontado como uma das zebras do grupo 8 que contou com o Racing(Arg), Deportivo Táchira(Ven) e o Sporting Cristal (Per), agora é o time da moda. Prova que a equipe é muito mais que a lembrança das cores do tradicional e pentacampeão do torneio, o Peñarol do Uruguai.
Às vezes é bom ter essas surpresas no futebol e vivenciar o inacreditável para muitos acontecendo. O segundo clube mais velho do Paraguai está na semifinal. Nas oitavas de final, o Corinthians foi eliminado com propriedade e muitos questionavam e entenderam como vergonhoso ao invés de valorizarem. Então, o que dizer do atual campeão argentino que mesmo jogando em casa não conseguiu, sequer levar a decisão para os pênaltis?
A classificação às semifinais deve ser muito valorizada. O Racing jogou a segunda etapa com um jogador a menos, o goleiro Saja foi expulso, após cometer pênalti no atacante Marcelo Palau. O substituto Ibañez pegou a cobrança de Benitez, que diga-se de passagem foi o “cara” que marcou o gol da vitória de 1x0 no jogo de ida.
A defesa deu moral para a volta do intervalo. Mas nem mesmo a pressão da torcida presente no estádio El Cilindro, a qualidade de Diego Milito e as oportunidades com o artilheiro do torneio, Gustavo Bou tiraram a inédita passagem dos paraguaios a fase seguinte. Destaque também para o goleiro Aguilar que pegou tudo.
O fato é que o Guaraní é uma equipe muito bem formada e treinada. Se costuma pecar nas oportunidades de gol, na parte defensiva consegue compensar, e que fique claro, sem violência e com poucas faltas.
O adversário agora será outro time argentino. Trata-se do tradicional River Plate que passou de forma surpreendente sobre o Cruzeiro, em pleno Mineirão por 3x0. O primeiro duelo será em julho, após a Copa América no fantástico Monumental de Nuñez.
Mas não podemos ter a mania da memória curta. No ano passado o San Lorenzo foi o campeão pela primeira vez derrotando a surpresa inesperada chamada Nacional, outra equipe paraguaia. Isso prova que o país faz um trabalho interessante nas divisões de base para ser uma força ainda maior nas competições.
Vamos aguardar para ver o que vai dar, porém vale a vibração e felicidade da torcida "Raza Aurinegra" que já faz história na competição. Se em 2009 a sua participação não rendeu nenhum ponto, nessa edição pode fazer o que desacreditados como Once Caldas( Col) e LDU (Equ) fizeram. Ambos levantaram a taça mais importante do continente Sul-Americano e disputaram o Mundial de Clubes.
Parabéns aos paraguaios.
Até a próxima!