quarta-feira, 3 de junho de 2015

A NOVA CHANCE DE LUXEMBURGO - Por Rodrigo Curty


E apesar do mundo do futebol ainda estar abalado pelos recentes acontecimentos envolvendo a FIFA, nada como um dia após o outro. A vida segue pelas competições no planeta.
Aqui no Brasil não é diferente. O Brasileirão, mesmo sem empolgar e prender a atenção como se esperava nesse início, apresenta nessa quinta rodada, alguns confrontos interessantes.
Teremos clássicos regionais entre Chapecoense e Joinville e São Paulo e Santos, mas também duelos históricos como Grêmio e Corinthians, Palmeiras e Internacional.
Se hoje o quarteto que domina o certame gera dúvidas e incertezas, na parte de baixo o que vemos são equipes tradicionais e com números fantásticos na história do torneio.
Mas é em Belo Horizonte que as atenções estarão voltadas nessa noite. O Cruzeiro recebe o Flamengo em situação conturbada. As duas grandes forças do nosso futebol, quem diria, hoje brigam contra o rebaixamento. Os elencos caros e repletos de jogadores para cada posição precisam dar resultados. O alto investimento exige isso e a torcida precisa acompanhar ao invés de pressionar.
A partida na Arena Mineirão ainda terá uma atração extra. Vanderlei Luxemburgo à frente do time Celeste contra seu ex-clube. Mal deu tempo de esfriar a cabeça e surge essa grande oportunidade para o treinador voltar a ser o que se espera dele. Um treinador que conquiste um título de expressão.
Apesar da seca, uma vez que o treinador não levanta um título nacional desde 2004, ele merece respeito, pois é ainda o maior vencedor com cinco conquistas. Mas os tempos são outros, e apesar do nível do nosso futebol estar nivelado por baixo, doa a quem doer, o fato é que aqueles que não se reciclam ou entendem a necessidade de acompanhar as mudanças, provavelmente continuarão sendo lembrados pelo que fizeram no passado.
O Flamengo não sabe o que é vencer a cinco partidas e Cristóvão Borges teme uma pressão maior em caso de tropeço. Teve pouco tempo para ajustar a equipe, mas aos poucos desenvolve o seu padrão tático. Luxemburgo conhece bem a Toca da Raposa onde foi campeão de tudo em 2003 e deixou saudades. Substituir Marcelo Oliveira, mesmo esse tendo vivido um período ruim nas últimas semanas não será uma missão fácil. Colocar o Cruzeiro nos eixos e pronto para defender os seus dois títulos nacionais seguidos exige atenção, união e respeito entre os envolvidos. Boa sorte ao professor e a noite a gente confere o que vai dar.
Até a próxima!