quarta-feira, 29 de julho de 2015

PRATTO EM NOITE DE GALA, TIMÃO NA COLA E EMPATE NA LIBERTADORES - Por Rodrigo Curty


E o Atlético MG é mais líder do que nunca. O Galo mineiro está arrasador e joga o fino da bola no país.
Mas justiça seja feita. O São Paulo, antes do início da noite inesquecível de Lucas Pratto começar, poderia estar na frente e com folga. A questão é que a falta de sorte e o bom goleiro Victor impediram que isso acontecesse, ora com Alexandre Pato, ora com Luis Fabiano.
Como o ditado de “quem não faz, leva” normalmente não falha, a história na lotada Arena Mineirão concretizou a tese, principalmente pela terrível postura da zaga do tricolor. Rodrigo Caio, Toloi e Lucão estavam perdidos e longe dos atacantes do time comandado por Levir Culpi. Assim, as chances foram criadas e nas três bolas alçadas para Lucas Pratto, todas entraram. Muito oportunismo, frieza e liberdade para o argentino, que já fez muito atleticano esquecer Diego Tardelli.
Na segunda etapa como já é de costume, mesmo para equipes ofensivas, o Galo esperou o São Paulo que chegou ao seu gol, através de Pato, com belo passe de Ganso. Mas o que parecia uma reação, acabou em chances para os dois lados e os goleiros se destacando para evitar mais gols.
Se manter o foco no torneio, o jogo coletivo e alternâncias táticas, apesar de ainda ter muita coisa pela frente, o torcedor do alvinegro pode começar a sonhar com o título que não vem desde 1971.
Outro alvinegro que fez bem a lição de casa foi o Corinthians. Apesar de atuar de forma burocrática, jamais deve ser menosprezado, afinal, a torcida está mais preocupada em ver sua equipe ganhar os três pontos do que ver espetáculo.  O adversário da noite foi o Vasco. O Cruz-maltino, mesmo com muito tempo para dar a volta por cima vai a passos largos para segundona. É estranho, pois se analisarmos o plantel, o clube conta com jogadores carimbados e acostumados a pressões. O problema, talvez seja a relação interna. Eurico Miranda colabora demais para atual situação.
Se no primeiro tempo a equipe carioca conseguiu segurar as ações do Timão, na etapa final, os velhos erros e falta de sorte se fizeram presente. 3x0 com louvor. Algo me diz que Celso Roth pode dar adeus a qualquer momento. Do outro lado, Tite pede concentração e manutenção dos pés no chão. O time que joga muito bem, de forma coletiva e burocrática, segue na corrida atrás do Atlético MG pela liderança, e sabe que um tropeço contra o São Paulo, na próxima rodada poderá ser crucial para suas pretensões.
Por fim, a Libertadores.
A final entre Tigres e River Plate ficou a desejar. Era esperado um jogo com gols e muita emoção no lotado estádio Universitário, em Monterrey. Nunca é demais lembrar, que foi graças a equipe mexicana que o River avançou e pode crescer no torneio. Coisas do futebol. Como já havia ocorrido nas partidas da fase de grupos, quando ambos também se enfrentaram, a partida terminou empatada, só que desta vez sem gols. O time da casa bem que tentou furar a defesa argentina, mas não conseguiu mais do que uma bola no travessão e dois lances de perigo. Na partida de volta, a expectativa é de que a fanática torcida presente no Monumental de Nuñez empurre o seu time para o tricampeonato. Vamos aguardar”
Até a próxima!