quinta-feira, 23 de julho de 2015

INTERNACIONAL PERDE E ADIA O SONHO DO TRI - Por Rodrigo Curty


E mais uma vez, o Internacional adiou o sonho de ser tricampeão da Libertadores. A parada da competição, devido à Copa América fez mal para a equipe brasileira. Durante a fase de grupos, os comandados de Diego Aguirre estavam entrosados, vibrantes, inteiros, mas bastou a parada por quase dois meses para o time degringolar.
O adversário da semifinal foi o bom e organizado Tigres, do México. Derrotada apenas duas vezes na competição, sendo a segunda vez, apenas na partida de ida, na Arena Beira-Rio por 2x1, ficou nítida a diferença  técnica e tática para os brasileiros.
E foi justamente o gol marcado fora de casa que deu esperança de classificação à final contra o River Plate. O Colorado sentiu a pressão, o calor e não soube conter o ímpeto do adversário que construiu a vitória sem dificuldade ainda no primeiro tempo com os gols de Gignac e Geferson(contra). No segundo tempo era preciso pelo menos um gol para o Internacional levar a decisão para as penalidades, mas antes mesmo dos 15’, o uruguaio Arévalo Ríos marcou o terceiro para delírio da torcida. Estava nítido que o Internacional não conseguiria marcar os dois gols necessários. Fez o seu de honra aos 43’ com o irreconhecível Lisandro López.
Agora a missão dos brasileiros será o de levantar a cabeça, controlar a crise que impera em Porto Alegre, buscar força e estímulo para fazer valer o favoritismo no Brasileirão e acima de tudo não inventar de mudar o comando técnico.
Para os mexicanos vale a participação na final, mas que graças ao regulamento grotesco não poderá disputar o Mundial de Clubes, em caso de conquista, uma vez que os mexicanos são convidados à participar do torneio pela Conmebol.
Fora isso, o Tigres jogará a primeira final, na próxima quarta-feira, novamente no Estádio Universitário, no México. Depois viaja para encarar os argentinos no dia 5 de agosto, em Buenos Aires, no estádio Monumental del Núñez.
É importante não esquecer que seja derrotado, o sabor da derrota deverá ser bem digerido pelo tradicional River Plate que chega à decisão após 19 anos. Os Los Millonarios buscam o tricampeonato e consequentemente o bicampeonato mundial no Japão. Será a primeira vez que a equipe participa do Mundial no novo formato. Anteriormente jogou a Intercontinental, levantando a taça em 1986 contra  o Steaua Bucareste e foi derrotado para a Juventus em 1996.
Será que o time que foi o último colocado na primeira fase fará história como o timaço de 1986, que tinha entre os campeões, nomes como o de Pumpido, Montenegro, Ruggeri, Alzamendi, Alonso e Alfaro? Faça a sua aposta. A minha é de que o Barcelona mais uma vez levantará a taça.
Até a próxima!