quinta-feira, 2 de julho de 2015

SPORT, UM LÍDER COM AUTORIDADE - Por Rodrigo Curty


E o Brasileirão segue a toda, ainda mais com a eliminação da Seleção Brasileira, na Copa América. Se o nosso futebol de fato precisa se reciclar de vez e buscar alternativas para voltar a ser um dia o país desse esporte que enchia o povo de orgulho, o que nos resta no momento é torcer pelo clube de coração e por boas partidas nessa competição nivelada por baixo.
Calma lá! Não vamos entrar em atrito por causa da minha opinião, pois apenas classifico o torneio dessa maneira, uma vez que com tanta ausência de bons jogos e quantidade de gols, seria impossível achar que temos o melhor campeonato do mundo.
É claro que como temos equipes, ao meu ver bem semelhantes, o equilíbrio e competitividade é maior, o que faz com que considerem um grande Brasileirão. Ora, sem desrespeitar os considerados pequenos, mas finalmente aos poucos parece que a tabela entra nos eixos. Equipes que começaram avassaladoras, principalmente por não terem que ceder jogadores as suas Seleções agora pagam pela falta do plantel para suportarem as 38 rodadas e também pela falta da “ajuda” de custos proveniente de TV e patrocinadores de forma mais justa.
O líder é o Sport de Recife, esse o único representante do Nordeste na elite do futebol brasileiro. A equipe formada com o que chamamos de “refugo” e jovens talentos merece ser respeitada, apesar de ainda ser muito cedo para cravar que se manterá sempre no topo da tabela. Nomes como Diego Souza, Durval, André, Maicon Leite e Marlone jogam o fino da bola. Ontem a vitória de 3x0 sobre o então postulante ao título, a boa equipe do Internacional foi uma prova disso. Eu ainda acho que o Colorado tem tempo para se recuperar, a questão é o que ocorrerá após a Libertadores, onde o clube disputa em breve a semifinal contra o Tigres(Mex).
Já o Atlético MG é outro que tem tudo para conquistar o título. Equipe madura e bem dirigida venceu o frágil Coritiba por 2x0. A princípio o Galo perde apenas para ele mesmo. E o São Paulo? Pois é, com tantas perdas, falta de opções homogêneas e mesmo que neguem, uma crise interna será difícil manter a regularidade esperada. O Atlético PR que venceu o tricolor por 2x1 surpreende pela sua simplicidade. O mesmo serve para Grêmio e Palmeiras. O tricolor gaúcho venceu o decepcionante Cruzeiro e cala às críticas. Já o Verdão emplacou 2x0 no Chapecoense e prova que com Marcelo Oliveira, o time virou time e não um bando.
Por fim, a dupla carioca Flamengo e Vasco ainda engatinham, mas podem e devem melhorar. O primeiro chegou a segunda vitória, desta vez contra o Avaí por 1x0, enquanto o segundo com o mesmo placar passou pelo Joinville, e agora espera ter um pouco mais de paz para trabalhar.
A bola rola nessa noite para mais três partidas. O Corinthians, que se desfez de jogadores importantes recebe o bom time da Ponte Preta, enquanto o Santos visita o ascendente Fluminense. Goiás e Figueirense jogam para melhorar a posição na tabela. O fantasma do rebaixamento é uma realidade.
Até a próxima!