terça-feira, 7 de julho de 2015

UM FLAMENGO MAIS GUERRERO - Por Rodrigo Curty


E essa terça-feira será diferente na Gávea. Hoje finalmente o torcedor do Flamengo poderá sorrir um pouco. O craque da Seleção do Peru, o atacante Guerrero será apresentado às 13h, mas antes participará do treino visando a partida de estreia contra o Internacional, em Porto Alegre.
Você pode estar se perguntando por que Guerrero não terá a festa que tantos outros tiveram nas chamadas contratações bombásticas e estrelares? Lembro de algumas como a de Romário e Edmundo em 1995, a do retorno de Bebeto em 1996, Adriano em 2009, Ronaldinho Gaúcho em 2011 e Vagner Love em 2010 e 2012.
Mas de volta a sua pergunta, a resposta é simples. Não haverá festa porque o tempo não é de euforia e sim de trabalho e mais trabalho. O clima está pesado, Cristóvão segue com a corda no pescoço, alguns jogadores são ameaçados diariamente e por aí vai.
Muito se diz que a crise que assola no rubro-negro é o fato do alto salário que o centroavante receberá. Serão R$ 650 mil mensais, mais luvas de R$ 16 milhões, ou seja no fim do contrato, o total ultrapassará R$ 41 milhões ao clube.
É bem verdade que a contratação apenas foi viabilizada com o apoio dos patrocinadores, principalmente a Caixa Econômica Federal e a Adidas. Isso sem falar que a conta poderá ser amenizada com a ajuda que vem de fora e a mais importante, eu falo da torcida do Flamengo, através do Programa Sócio-Torcedor e claro nas arquibancadas, afinal não é de hoje que o 12º jogador é acionado para fazer o clube renascer das cinzas.
No novo ambiente, o centroavante que ao meu ver dispensa comentários pela sua qualidade técnica terá a companhia de Emerson Sheik. A dupla que brilhou no Corinthians tem tudo para repetir a dose, mesmo com um elenco no máximo mediano.
E é bom que a torcida tenha a certeza de que a dupla sozinha não fará milagres. No futebol está mais do que provado que um time é composto por um grupo e não apenas por uma ou duas estrelas.
Vale a lembrança que das contratações acima, apenas a do Imperador deu o resultado esperado, o resto vivenciou bons momentos individuais, dramas e decepções. Assim, o mínimo que a torcida deseja é que Guerrero faça tantos gols, quanto Vagner Love, que em 2010 marcou 23 em 29 jogos e que os mesmos venham acompanhados de títulos.
Faça a sua aposta e pense que nunca é demais ressaltar o belo trabalho realizado pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello e cia no setor administrativo.  Se hoje conseguem sanar as dívidas e trabalham para que em breve um CT decente e até o sonho do estádio próprio se concretize, jamais devem se esquecer que o Flamengo vive de futebol e títulos. Por isso, as contratações não podem falhar no marketing e nem no aumento de receita, caso contrário, o projeto poderá ir por água abaixo na próxima gestão.
Vamos aguardar. Por enquanto fica para o torcedor flamenguista a expectativa de que o oba-oba para Guerrero venha em um melhor momento, assim como a partida que estava prevista para hoje entre os Master do Flamengo.  
Até a próxima!