quarta-feira, 30 de setembro de 2015

QUEBRA DE TABU, VOLTA DO ARTILHEIRO E SONHO MANTIDO - Por Rodrigo Curty


E foram definidos nessa noite, três dos quatro classificados para as semifinais da Copa do Brasil. Pode-se dizer que a noite foi de surpresas, principalmente na Arena do Grêmio. Vamos às análises.
Palmeiras x Internacional.  O Verdão jogou em casa com o apoio de seu torcedor e avançou com doses de dramaticidade. Como se não bastasse, o jejum de nove jogos sem triunfar contra os gaúchos era um presságio de que a história dessa vez seria diferente. Se na primeira partida, os paulistas já poderiam ter saído com a vitória, mas amargaram o 1x1, o que dizer do gol do zagueiro Vítor Hugo no início do jogo? Com certeza foi o que deu a tranquilidade aos comandados de Marcelo Oliveira. O Colorado, por sua vez não se intimidou e fez de tudo para achar o seu gol, mas teve que se contentar com a penalidade marcada de Alex sobre Lucas, ao meu ver de forma equivocada. Na segunda etapa o jogo foi outro. Os visitantes chegaram ao empate e levaram pressão, assim a vitória alviverde veio com o gol de Andrei Girotto, após belo cruzamento de Allione. A bola aérea é realmente a maior força do Palmeiras. Olho neles!
O adversário dos paulistas será o Fluminense. O tricolor carioca mais uma vez ficou sem vencer uma partida, mas avançou, graças ao regulamento da competição. O gol de Fred fez com que o tricolor gaúcho buscasse a virada, uma vez que na primeira partida, o placar não saiu do zero. E olha que o time bem dirigido por Roger bem que tentou, mas não contava com a noite inspirada de Diego Cavalieri que pegou quase tudo, menos o belo chute de Bobô. A pressão foi enorme até os 51’. Ataque contra defesa. No fim, a torcida da casa reconheceu, mas quem sorriu foi à carioca que ganhou fôlego e motivação, após a semana que começou com a despedida de Ronaldinho Gaúcho. Vamos ver o que o Fluminense tem para mostrar na reta final.
Por fim, o São Paulo visitou o Vasco. O time da casa jogou com os reservas, mas mesmo assim deu uma tremenda pressão no também desfalcado tricolor paulista. O placar construído na primeira partida fez muita diferença. Tirar um placar de 3x0 não é fácil. O Cruz-maltino bem que tentou. Parou em Rogério e na má pontaria de seus atacantes. Achou um gol antes dos 20’ e poderia ter ido para o segundo tempo com uma vantagem de pelo menos 2x0, mas não conseguiu. O São Paulo esteve mal taticamente, porém mais equilibrado com as substituições de Osório. Centurión marcou o gol de empate que garantiu a classificação. O sonho do título inédito continua. Basta saber como o time irá encarar o próximo adversário que saíra do duelo de amanhã entre Santos e Figueirense, no Pacaembu. O Peixe venceu em Florianópolis por 1x0 e deve avançar, mas é bom não vacilar.
Até a próxima!