quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SANTOS E PALMEIRAS NA FINAL DA COPA DO BRASIL - Por Rodrigo Curty


E a final da Copa do Brasil 2015, assim como a do ano passado será entre duas equipes da mesma região. Em 2014 tivemos o clássico mineiro, desta vez, a final é paulista. Palmeiras e Santos se classificaram para à decisão, após eliminarem Fluminense e São Paulo, respectivamente.
A tarefa do Verdão não era fácil, mas longe de ser impossível. Com o gol marcado fora de casa, bastava uma vitória simples por 1x0, na lotada Allianz Parque para avançar para mais uma final da competição. O jogo teve dois tempos distintos. No primeiro, os donos da casa pressionaram em busca do objetivo e conseguiram dois gols antes dos 20’ com Lucas Barrios. Parecia que viria uma goleada, uma vez que o tricolor carioca não acertava uma bola e errava demais defensivamente.
Na segunda etapa, porém o jogo foi outro. O Palmeiras chamou o adversário para o seu campo e foi bastante pressionado. Eduardo Baptista mexeu bem na equipe e se tornou bem ofensivo. De tanto pressionar, veio o gol aos 25’ com Fred, mesmo “baleado”. Daí para frente o jogo ficou lá e cá e com chances sendo desperdiçadas para ambos os lados. O Fluminense bem que tentou fazer o segundo gol, mas parou em Fernando Prass. Sem mais tempo para nada, veio a decisão da vaga nas penalidades.  
Se o Palmeiras estava sem pernas, no quesito mental provou que estava equilibrado. As cobranças de Rafael Marques, Jackson, Allione e Cristaldo foram convertidas com classe. No lado carioca, somente Jean converteu. Gustavo Scarpa parou nas mãos de Fernando Prass e Gum isolou. Classificação justa pela raça e determinação, pois à postura tática segue de forma desorganizada e deixando o palmeirense “maluco” nas arquibancadas. É aguardar para ver se esse quesito definitivamente irá melhorar nas mãos de Marcelo Oliveira, que sonha finalmente ser campeão da Copa do Brasil, uma vez que já perdeu em três decisões.
Na Vila Belmiro, mais um passeio do Peixe sobre o tricolor paulista. O Santos que havia vencido no Morumbi pelo placar de 3x1, podia perder até por 2x0, que mesmo assim se garantiria na final. Para quem esperava um São Paulo avassalador como na partida de ida, se decepcionou. Bastou menos de 25’ para que a partida fosse liquidada pelo Santos. Mostrando um futebol de encher os olhos, repleto de toque de bola rápido, alternâncias táticas e finalizações perfeitas, os comandados de Dorival Júnior chegaram no 3x0, sobrando. Destaques para Lucas Lima que participou dos três gols, dando passes e puxando os contra-ataques. O meia estava endiabrado, “marrento” e provando que ainda há esperança em ressurgir os camisas 10 no país.
Na frente, Ricardo Oliveira demonstra a cada jogo que é disparado o melhor atacante em atividade no Brasil. O jogador sabe se colocar nos espaços e finaliza como poucos. Marcou dois gols e ainda viu Marquinhos Gabriel marcar um golaço e carimbar a trave.
O São Paulo estava desnorteado, perdido e falhando muito defensivamente. Doriva não encontrou a fórmula ideal para a equipe e já deve estar de saída. A defesa é o ponto mais fraco da equipe que até melhorou na etapa final, principalmente pelo fato do Santos ter tirado o pé, talvez por respeitar as cores do tricolor. Senão, sinceramente um novo 7x1 não seria nada de anormal pelas circunstâncias. No fim, nem o gol de Michel Bastos aliviou às críticas ao time da capital, que agora foca as energias no Brasileirão, afinal ainda há esperança de um G4, será?
As finais ocorrerão em 25/11 e 02/12. Até lá muita coisa pode acontecer, mas mesmo sendo mata-mata, a tendência é de que tenhamos o mesmo cenário da final do Paulista desse ano, ou seja, o título santista. É bom respeitar o Verdão, mas vai ter que jogar muito.
Até a próxima!