segunda-feira, 16 de novembro de 2015

A BELA SINTONIA DE MANO MENEZES E CRUZEIRO - Por Rodrigo Curty


E a bola rolou pela 35ª rodada do Brasileirão. Em partida antecipada, o Cruzeiro recebeu o Sport Recife e fez muito bem o seu papel.
A Raposa está longe de ser aquela equipe bicampeã seguida da competição, mas sem sombra de dúvida é outra nas mãos de Mano Menezes.
Longe de entender que o gaúcho é o "salvador da pátria", mas verdade seja dita, quando ele assumiu, os mineiros estavam próximos da zona de rebaixamento. Sim, estavam na 15ª colocação com apenas 25 pontos. Nem Marcelo Oliveira, que buscava o Tri e muito menos Vanderlei Luxemburgo deram conta do recado.
Já com Mano Menezes no comando os números da celeste dobrou. Com a vitória de 3x0 sobre os pernambucanos, o time alcançou os 51 pontos e pelo incrível que pareça até sonha com uma das vagas à Libertadores de 2016. O aproveitamento do treinador também impressiona – 66,6% contra 37,9% antes de sua chegada.
Mas qual o segredo? Ora, é claro que uma nova metodologia, planejamento, oportunidades iguais fazem a diferença, mesmo que momentâneo, porém no caso do Cruzeiro, o que mudou mesmo foi à atitude da equipe. Precisa de um “gás” e “incentivo” ao elenco. Para se ter uma ideia, o ataque e a defesa hoje estão bem equilibradas.
O Cruzeiro antes de Mano tinha um dos piores poderes ofensivos. A partir então da 23ª rodada isso mudou. A equipe com Mano marcou 23 gols e está atrás apenas do Corinthians. A defesa também merece destaque. Com Mano, o Cruzeiro é o time que menos gols levou no período, apenas dez.
Vamos aguardar e ver se os times de cima caem de produção e se a Raposa mantém a regularidade nas suas últimas três partidas. Independente de entrar ou não na Libertadores, a direção mineira acertou na escolha, da então “aposta” Mano Menezes.
Até a próxima!