quinta-feira, 19 de novembro de 2015

CORINTHIANS EMPATA E LEVANTA A SEXTA TAÇA DO BRASILEIRÃO - Por Rodrigo Curty


E o título corintiano finalmente foi oficializado nesta 5ªfeira. A partida contra o Vasco da Gama foi eletrizante. De um lado o desespero carioca em fazer a lição de casa para manter viva a esperança de ficar na elite em 2016. Do outro, a expectativa de poder gritar “É campeão”. O empate serviria, desde que o São Paulo vencesse o Atlético MG, no Morumbi.
E foi o que aconteceu e para quem gosta de curiosidades, pela primeira vez com a camisa listrada. Em São Januário um empate em 1x1, nos minutos finais para desespero dos Cruzmaltinos. Em São Paulo, a virada tricolor por 4x2.
A conquista do hexacampeonato foi mais do que justa, mesmo que insistam em acreditar que à arbitragem colaborou. Ora, apesar de algumas partidas terem sido absurdamente apitadas, sejamos justos em entender que todos foram “ajudados” e “prejudicados” nesse campeonato.
O Corinthians para chegar ao sexto título teve o maior número de vitórias e foi o que menos perdeu. É o time de melhor ataque e melhor defesa. Conta com um padrão tático impressionante, mesmo não tendo no papel um super time.
O que valeu mesmo foi o comando. Tite, soube como ninguém ajustar a perda de jogadores importantes do elenco. Deu crédito a jogadores da base, valorizou outros, antes questionáveis. O fato é que a espinha dorsal deu conta do recado. Cássio não é fantástico, porém passa segurança, os laterais são limitados, mas conta com umzagueiro fantástico de nome Gil, que ajudou Felipe crescer na posição. O meio é brilhante. Ralf, que foi banco, quando voltou permaneceu. Elias, Renato Augusto e Jadson formaram um trio sem defeitos. O ataque demorou para embalar, mesmo porque não existe um nove fixo. Luciano assumiu bem a titularidade, mas teve a lesão no joelho. Foi aí que Vagner Love assumiu a responsabilidade, e mesmo perdendo muitos gols, quando engrenou não parou mais. Foi importantissímo nos últimos jogos.
O Corinthians merece o aplauso, reconhecimento e acima de tudo manter suas principais peças para a próxima temporada. É preciso ter os pés no chão para não trocar os pés pelas mãos. A temporada foi brilhante, mas a torcida vai querer mais. Libertadores é a meta do corintiano. Olho neles!
Até a próxima!