domingo, 6 de dezembro de 2015

BRASILEIRÃO 2015 TERMINA COM CABEÇA EM 2016- Por Rodrigo Curty


E lá se foi mais um Brasileirão. O campeonato, apesar de ter tido o campeão Corinthians com uma diferença de 12 pontos para o segundo colocado Atlético MG, apresentou ótimos jogos e equilíbrio principalmente na parte dos que lutavam pela sobrevivência na elite.
O nível técnico não foi o dos mais esperados. Houve muita irregularidade, erros acima da média na arbitragem, estádios com falta de público, inclusive nos clássicos e o torneio dividindo as atenções com os escândalos não só com a CBF, mas também com a FIFA.
Ora, de qualquer maneira não se pode tirar o brilho de uma equipe, que se ainda não pode ser considerada espetacular, soube se planejar nas adversidades e provou por A + B que foi e é de sobra a melhor do país.
O Timão chegou ao hexa com determinação e bom futebol, independente de ter a seu favor “ajudas” ou melhor “erros” de arbitragem, afinal não há uma equipe que pode reclamar de não ter tido, em algum momento essa tal “ajuda” ou “erro”. Fora isso, o clube conseguiu quebrar o recorde do Cruzeiro e agora é a equipe que mais somou pontos na competição (81 pontos).
O campeonato de pontos corridos é há tempos uma realidade. Apesar de existir desde 2003, ainda há os que sonham com o retorno do mata-mata. Ora, essas equipes devem se contentar com a Copa do Brasil, que assim como o Brasileirão foi empolgante em sua reta final.
O Brasileirão teve emoção até o seu final. São Paulo e Internacional, além dos times que lutavam contra à queda provam isso.
O tricolor paulista, que diga-se de passagem fez uma campanha desastrosa conseguiu a vaga na pré-Libertadores, graças a vitória de 1x0 sobre o Esmeraldino. O São Paulo vai precisar urgentemente se reinventar. O Colorado mais uma vez decepcionou. Como sempre entrou como sendo um dos favoritos e mais uma vez não correspondeu. A torcida terá que esperar mais uma vez pelo sonhado título.
Já Avaí, Vasco, Goiás e Joinville estão rebaixados. O primeiro, por pouco não se salvou. Vencia o campeão, em plena Itaquera e cedeu um empate que custou a permanência, uma vez que o rival Figueirense passou pelo magro, porém importante 1x0 sobre o Fluminense. O resultado decretou o rebaixamento do rival Cruzmaltino que empatou sem gols e sucumbiu contra o Coritiba.
O ano de 2016 promete mudanças. A expectativa é de que o futebol seja mais limpo, menos político e repleto de sujeiras. É difícil, mas cabe aos clubes lutarem por isso.  A Liga Sul-Minas pode ser uma ótima saída para mudanças. As Olímpiadas tende prejudicar ainda mais os clubes cariocas, que decepcionaram na competição. O Sul do país perdeu dois representantes de Santa Catarina, mas ganhou mais dois do Nordeste. Vamos aguardar, afinal agora é hora de descanso, planejamento e as boas e velhas especulações de quem chega e saí do clube de coração.
Até a próxima!