terça-feira, 29 de dezembro de 2015

BRASIL SOFRE COM O MERCADO CHINÊS - Por Rodrigo Curty


E mais uma vez, o futebol brasileiro vive o drama de perder seus principais jogadores para o futebol chinês. Todo final de temporada é a mesma coisa. Ano passado, por exemplo Ricardo Goulart e Everton Ribeiro deixaram o bicampeão Cruzeiro, mas dessa vez o assédio é no campeão Corinthians. O Timão, aliás é um dos poucos times que não se reforçaram para o ano que vem, e olha que a Libertadores é a maior ambição de Tite e companhia.
A questão será se o clube saberá lidar bem com o caixa cheio, que diga-se de passagem deverá ser usado para sanar dívidas milionárias.
A espinha dorsal se desfaz aos poucos. Jadson, o camisa 10 foi o primeiro a fechar o contrato com os chineses. A multa contratual de € 5 milhões(valor que ultrapassa R$ 21 milhões) foi paga. Deste valor, o clube paulista terá direito a 30%, enquanto o jogador de 32 anos, assim como seu grupo de empresários ficará com o restante.
A torcida fica enfurecida quando vê o seu time desmontar, mas na atual conjuntura econômica não há como competir. Por dois anos de contrato, o meia receberá cerca de R$50 milhões. O salário no Corinthians era de R$350 mil / mês e o vínculo era até agosto de 2016. É melhor garantir uma grana agora do que correr riscos desnecessários.
Outro que deve bater o martelo em breve é o importante e polivalente volante Elias. A proposta de 10 milhões de euros(aproximadamente R$40 milhões) do Hebei China Fortune já foi aceita pelo alvinegro, que agora coloca “na conta” do jogador a decisão final. Ora, Elias tem 30 anos e pode fazer o tão sonhado caixa, afinal receberia em torno de R$2 milhões / mês. O Corinthians ainda tenta uma negociação para que o clube chinês pague uma dívida sua com o Sporting de Lisboa. No fim, tudo indica que será um grande negócio para ambos.
Resta saber se a novela chinesa com essa compra se encerrará. Vagner Love também é sondado e pode retornar ao país. Fora isso, o “craque” do Brasileirão, Renato Augusto pode estar de malas prontas. O destino seria novamente à Alemanha e o mesmo Bayer Leverkusen, clube que ele defendeu entre 2008 e 2012. O Schalke 04 corre por fora. A multa rescisória é baixa o que possibilita e muito à saída do meia.
Vamos aguardar os próximos capítulos e outras sondagens, por exemplo em cima do zagueiro Gil que tem tudo para ser a “bola da vez”.
Até a próxima!