segunda-feira, 21 de dezembro de 2015

FLAMENGO EM BUSCA DO SUCESSO EM 2016 - Por Rodrigo Curty


O Flamengo mais uma vez decepcionou o seu torcedor em 2015. Pelo menos no que diz respeito ao futebol. O planejamento foi feito de forma equivocada também em suas contratações e montagem das equipes na temporada.
O campeonato carioca foi um vexame. A Copa do Brasil e o Brasileirão ficaram aquém das expectativas. O investimento, de certa forma foi alto. Jogadores que poderiam provar que o investimento foi válido decepcionaram: Cesar Martins, Jonas, Almir, Arthur Maia, Ederson, e tantos outros. A dupla Sheik e Guerrero também não triunfaram como esperado. Por outro lado, Kayke e Alan Patrick foram boas surpresas. O time com Oswaldo de Oliveira, por pouco não calou as críticas e a dúvida do sucesso. O time emplacou uma sequência de seis vitórias, teve o camisa 10 jogando bem até se contundir, o meio-ataque entrosado, porém bastou cair na realidade para entender que a limitação era bem real.
Faltava liderança, controle de vaidades e principalmente atitude de alguns jogadores. A situação desandou ainda mais com o tal “bonde da Stella”, enfim, o importante é que os responsáveis pela gestão do clube reconheceram isso e já planejam 2016 para ter um ano diferente.
Muricy Ramalho prioriza demais o treino tático. Gosta da bola parada e esgota o time na parte defensiva e ofensiva. É aí que começam as dúvidas na cabeça do treinador. O Flamengo jogará em um esquema de 3-5-2? Será um 4-3-2-1 ofensivo? Terá apenas um jogador para as bolas paradas? O ataque será com um 9 fixo ou em sistema de rodízio.
O tempo para preparar o time será dado. O Cariocão será jogado pela equipe de base. Pratas-da-casa terão uma grande chance de provarem que podem ser aproveitados na equipe de cima. Pelo menos seis jogadores devem empolgar (Rafael Dumas,  Jajá, Matheus Sávio, Trindade, Douglas Baggio e Cafu).  
Infelizmente nem todos os jovens talentosos que sobem conseguem permanecer. Seja pela pressão, seja pela falta de maturidade. Samir e Luiz Antônio são exemplos dessa tese. O primeiro foi vendido para Udinese, teve o azar de sofrer muitas lesões. O segundo se envolveu em manchetes negativas e acabou caindo de rendimento, apesar de para muitos ser o melhor volante à disposição.
É aguardar para ver o que vai dar. A tendência é de que alguns provem o seu valor como Marcelo Cirino e Everton, esse se permanecer a pedido do treinador. O meio é o setor a ser pensado com carinho. Marcio Araújo e Canteros não passam confiança, Ederson precisa estar 100% para assumir a criação. No ataque, Sheik e Guerrero precisam se reencontrar com o bom futebol apresentado no Corinthians.
Boa sorte ao Flamengo.