segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

PAULISTAS A BEIRA DE UM ATAQUE DE NERVOS - Por Rodrigo Curty

E o campeonato paulista segue atormentando os times considerados grandes. Exceção é o Corinthians, mas apenas porque consegue evitar as derrotas e por conquistar as vitórias, mesmo que de forma sofrível.
O torcedor deve entender que os torneios que valem mesmo são os outros. O laboratório no regional é super válido, porém não se pode usar como desculpa, uma vez que na Libertadores, por exemplo, as coisas ficam a desejar.
Vamos por partes. O Timão vence e não convence. É uma equipe remodelada. Tite sabe como trabalhar o "novo", porém se a sorte acompanha os competentes, bastará uma derrota amarga para a coisa se complicar. Apesar de invicto, os empates e vitórias nos acréscimos tem a cara que o corintiano gosta, mas uma hora estes desejarão ver novamente um time com toque de bola e encantando.
Já o São Paulo não consegue engrenar. Altos e baixos, críticas, grupo rachado e insatisfeito com a diretoria, torcida e etc. Um turbilhão de problemas que pode ter um prazo para terminar. Sim, basta tropeçar na Libertadores para os problemas que já vieram à tona se agravar ainda mais, e consequentemente surgir um "novo" Tricolor. Será? A derrota para Ponte Preta mostrou mais uma vez a deficiência nos setores de defesa e de armação da equipe. Está mais do que na hora de prestar menos atenção nas contratações de atacantes.
O Santos tem ao meu ver um time equilibrado. Dos quatro é o que melhor vem atuando. Perdeu sua partida para o Red Bull, mas não mereceu. Buscou a vitória e cansou de perder as suas oportunidades. O caso Ricardo Oliveira pode atrapalhar, mas se jogador, clube e o grupo não rachar, os frutos devem ser colhidos na frente.
O mesmo poderia servir para o Palmeiras, mas o time perdeu mais uma em casa. Desta vez para a Ferroviária. Mais uma vez no erro defensivo. O time não encontra um padrão tático e muito menos uma equipe titular adequada. Marcelo Oliveira está com a corda no pescoço. Uma reunião deve definir o futuro do treinador. Arrisco que deve durar apenas até a partida contra o Rosário Central, isso é se vir a tropeçar novamente.
Vamos aguardar! Até a próxima!