segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

O DESANIMADO CAMPEONATO ESTADUAL - Por Rodrigo Curty


E foi dada a largada nos campeonatos regionais. Como já era de se esperar, as equipes consideradas pequenas surpreenderam alguns grandes e, esses não empolgaram.
Um dos motivos, talvez seja a falta de motivação, presença de público e interesse de se doar ao máximo no início de temporada em um torneio regional. O que vai empolgar mesmo é a Libertadores e se ninguém atrapalhar a Liga Sul-Minas-Rio, afinal o torcedor gosta mesmo é de clássico.
Infelizmente não é de hoje que os regionais são usados para laboratório, oportunidade de um jovem talento ou figura carimbada, porém apagada se firmar de vez. A questão é a paciência do torcedor que quer ganhar tudo que disputar.
Nos grandes centros do país, ninguém empolgou. Em São Paulo, o Tricolor mostrou sua deficiência defensiva e falta de “elenco” para uma grande jornada no ano. O Santos foi preguiçoso e só empatou, assim como o “desmantelado” Corinthians que venceu, mas sofreu. O Palmeiras, por sua vez fez a sua parte. Venceu e mostrou estar bem fisicamente. Dos quatro é o que melhor deve se sair.
No Rio de Janeiro, o Flamengo mais uma vez falhou na defesa. Empatou, mas pode ver Guerrero marcar novamente um gol. O “novo” Botafogo, assim como o Vasco foi bem. Ambos devem comer pelas beiradas. Já o Fluminense perdeu mais uma. O Tricolor deve sofrer até se ajustar.
Em Belo Horizonte, o Atlético MG sofreu, mas venceu, enquanto o Cruzeiro vacilou e não passou de um empate. Olho no América MG que prova ter um time bem competitivo e saiu vencendo bem.   
No Sul do país, o Grêmio conseguiu uma ótima vitória e foi convincente contra o Brasil de Pelotas. Provou que esse ano tem tudo para sonhar alto. O Juventude também venceu e quer apagar as últimas campanhas, enquanto o Internacional ainda não estreou e é uma incógnita.
Força torcedor, motivação e paciência com seu time de coração nesse começo, afinal é sabido que a coisa só começa a valer mesmo nos regionais, quando se chega na reta final.
Até a próxima!