quarta-feira, 30 de março de 2016

FLAMENGO DEMONSTRA RESPEITO E COMPROMETIMENTO - Por Rodrigo Curty

O Flamengo mais uma vez não triunfou sobre um de seus maiores rivais, mas pelo menos mostrou raça, comprometimento e o respeito que a Nação Rubro-Negra cobrava há algum tempo.
O clássico dos milhões aconteceu no estádio Mané Garrincha, em Brasília e teve um domínio do time dirigido por Muricy Ramalho. O empate em 1x1 não foi o reflexo da partida, mas no futebol como sempre, o que vale é a competência.
Na primeira etapa as chances do Flamengo vieram com Emerson Sheik, Guerrero, Ederson e Jorge, mas todos pararam no "paredão" uruguaio Martín Silva, para mim o melhor em campo. O Vasco não assustou Paulo Victor, principalmente porque tinha em seu grande articulador - Nenê, um jogador sem os 100% de condições físicas.
O jogo lembrou os grandes duelos. Foram muitas provocações, principalmente entre Rodrigo e Guerrero, nervosismo e emoções do início ao fim. O árbitro valorizou em alguns momentos, mas sinceramente eu entendo pelo teor da partida. O volante Márcio Araújo deveria ter sido expulso, mas ficou barato, talvez por ter levado um cartão amarelo sem ter atingido o jogador adversário. Fora isso, o atacante da Gávea teve o peito beliscado pelo zagueiro vascaíno, que por sua vez, levou uma cotovelada. O peruano levou o amarelo, poderia ter sido o vermelho, mas pelas provocações, acredito que o juiz foi bem. Na saída para o intervalo, o capitão vascaíno saiu dizendo ser um jogador leal. Mais tarde ele provou o contrário. Já te conto.
Na segunda etapa o Cruz-Maltino voltou controlando as ações e assustou a meta do Flamengo. Foi aí que Muricy Ramalho mudou a partida. Colocou Alan Patrick e Marcelo Cirino nos lugares de Ederson e Emerson Sheik, respectivamente. Deus certo. O veloz ponta, de cabeça abriu o placar, após bela enfiada de bola do meia. Foi o primeiro gol de Cirino em clássicos regionais. Mas a alegria durou pouco. No escanteio originado de forma equivocada, uma vez que antes houve falta em Juan, Riascos, que acabará de entrar fez de cabeça, o gol de empate. 
O Flamengo não se abateu e por duas vezes quase chegou à vitória. Na primeira uma blitz na área vascaína, e pênalti claro em cima de Guerrero, não marcado, talvez pela valorização de não ter sido expulso, na sequência Rodrigo pisa em cima do joelho do atacante e nada acontece, nem o amarelo. Coisas do futebol.
Na segunda chance, bela jogada de Alan Patrick na esquerda e Willian Arão, ao invés de chutar, quis dominar, a bola foi na trave e no rebote a zaga afastou o perigo.
Final de jogo, Vasco com 12 jogos de invencibilidade no ano e agora com oito jogos sem saber o que é perder para o rival(5V e 3E). O Flamengo está fora da zona de classificação, mas se jogar como jogou, não só entrará como será um sério candidato ao título. É bom respeitar, pois quando se tem comprometimento as coisas tendem a dar certo.
Até a próxima!