quarta-feira, 9 de março de 2016

BRASILEIROS SOFREM NA NOITE DE LIBERTADORES - Por Rodrigo Curty

E a noite desta quarta-feira foi terrível para as equipes brasileiras na Copa Libertadores.
O Corinthians foi o primeiro a frustrar a sua torcida. O Timão foi até o Paraguai encarar o Cerro Porteño, no tradicional Defensores Del Chaco e se deu mal. A partida começou equilibrada, mas após a falha do goleiro paraguaio Silva, e gol de André, muitos imaginavam que a terceira vitória seguida pelo grupo 8 viria fácil, mas no fim teve que se contentar com a derrota. Os comandados de Tite erraram demais e perderam a cabeça. André e Rodriguinho foram expulsos, o que facilitou a virada por 3x1. Nem mesmo o gol de pênalti de Giovanni Augusto compensou. Restou ao time brasileiro reclamar da arbitragem, que ao meu ver, totalmente sem razão. Não há motivos para desespero, afinal das próximas três partidas pelo grupo, duas serão na Arena Corinthians - Cerro Porteño e o Cobresal. Eu acredito que conquiste os seis pontos e assim passe adiante, mas é bom não vacilar. Libertadores é outro tipo de competição e não permite deslizes.
Já o Grêmio recebeu o San Lorenzo em sua Arena lotada, em partida válida pelo grupo 6. Os mesmos erros do início de temporada, o nervosismo, erros de marcação culminaram para o empate em 1x1, mesmo saindo na frente. Apesar de ainda se manter até amanhã na liderança, o resultado acendeu o sinal de alerta e preocupa o Tricolor que agora terá duas partidas fora de casa ( LDU e o próprio time argentino). Terá que fazer o que não conseguiu em seus domínios. Pela camisa e tradição deve conseguir a vaga, mas Roger Carvalho precisa retomar o comando e o caminho regular das vitórias.
O mesmo serve para o Palmeiras. O Verdão mais uma vez decepcionou jogando no Allianz Parque. Recebeu o tradicional, enjoado e bem armado Nacional (Uru) e acabou derrotado. O grupo 2 está bem equilibrado, mas agora a obrigação por vitórias contra os uruguaios e o Rosário Central preocupa demais. O time definitivamente não tem um padrão tático definido. Insiste na mesma organização tática e na quantidade de volantes. Falta criação, jogar pelas pontas de forma rápida e arriscar mais. As bolas aéreas, falhas de marcação e pressão insistem em se fazer presente. O pior é que dessa vez o time até que não jogou tão mal, porém nem mesmo com as expulsões conseguiu triunfar. Foi derrotado por 2x1. 
Tudo indica que isso culmine de vez com a saída de Marcelo Oliveira do comando. Vamos aguardar, mas acho que pelos resultados, essa mudança já passou da hora.
Até a próxima!