segunda-feira, 4 de abril de 2016

QUANDO SURGE O ALVIVERDE IMPONENTE - Por Rodrigo Curty

O Palmeiras venceu mais uma. A semana foi do jeito que a torcida gosta e que espera ver se repetir durante a temporada.
Depois de uma crise que parecia não terminar, depoimentos pesados de todos os lados, novo empréstimo do mandatário Paulo Nobre, deflagração de grupos dentro do clube, enfim, aparentemente veio a bonança e um novo alviverde surgiu nos gramados.
E para o palestrino, alviverde, parmerista, enfim da forma como cada palmeirense gosta de ser chamado, vivenciar uma vitória no Derby, muita das vezes, representa mais do que muito título. 
Se contra os considerados pequenos o retrospecto é assustador, contra os "grandes" os números são bem favoráveis. Nem São Paulo, nem Santos e tão pouco o Corinthians conseguem vencer o Palmeiras. A vitória de ontem por 1x0 aumentou a invencibilidade sobre o rival de quatro partidas sem derrota. Curiosamente é a mesma vantagem do Verdão sobre o Tricolor. Contra o Peixe, a vantagem atual é de duas partidas.
Cuca, sem trocadilho, de fato racha a cabeça para encontrar o time ideal. O novo comandante sofre e provavelmente sofrerá por muito tempo com esse problema, assim como seus antecessores Oliveira ( Marcelo e Oswaldo). É claro que vencer quando se menos espera ajuda no planejamento, mas basta perder a regularidade para tudo voltar à tona.
Não se deve maquiar o momento atual do clube e muito menos colocar panos quentes. Ainda tem muito erro na administração do clube. Alexandre Mattos continua com plenos poderes, e em uma nova fase conturbada, por que não, deverá dar uma resposta à torcida, o que ao invés de ser certeiro poderá ser um tiro no pé. 
A semana será de muita tensão, afinal tem um novo encontro com o Rosário Central pela Libertadores e, desta vez, na Argentina. A derrota eliminará a equipe de forma precoce na competição, que era dada como prioritária. 
Resta saber se o time se comportará como no clássico. Se será corajoso e responsável. Se terá a competência quando tiver as chances de gol e acima de tudo o brio para aguentar a pressão e provar que pode sim ir longe, além de jogar contra tudo e contra todos. 
O Palmeiras é grande, porém precisa de muito mais que uma vitória sobre o Corinthians para provar que não é uma equipe comum. Fora isso, o plantel que Cuca tem nas mãos, de uma vez por todas deve provar, que mesmo possivelmente "rachado", respeita a camisa que se usa. Boa sorte ao Palmeiras!
Até a próxima!