quinta-feira, 14 de julho de 2016

SÃO PAULO É ELIMINADO DA LIBERTADORES- Por Rodrigo Curty

E a Libertadores terminou para o São Paulo. O tricolor sonhava em chegar em sua sétima final na competição. O time comandado por Edgardo Bauza tinha uma dura missão - tirar a vantagem conquistada pelo belo time do Atlético Nacional de Medellín. 
Os colombianos venceram no Morumbi pelo placar de 2x0 e para ser eliminado diretamente precisaria levar três gols, no estádio Atanásio Girardot. Vale ressaltar que o melhor time da fase classificatória levou até a partida de hoje, apenas quatro gols e foi derrotado uma única vez.
O que se viu nesta noite foi um São Paulo respeitando suas tradições e força da camisa. Marcou o seu gol aos 9' com o artilheiro do torneio Calleri (9 gols), dando o alento de que o placar, aberto cedo, traria calma e certeza de que o quase impossível poderia acontecer. Não foi o que aconteceu. Aos 15', o Atlético se aproveitou de um erro de passe no meio brasileiro, e Borja, o carrasco, entrou entre os zagueiros para de perna esquerda fuzilar Denis. O estádio foi a "loucura".
O São Paulo fez uma bela partida taticamente, porém pecou no que mais precisava -  a finalização. Time que não chuta, raramente consegue vencer. Os colombianos jogavam tranquilamente e davam a impressão que venceriam, quando bem entendessem, mesmo com Moreno perdendo dois gols incríveis e Calleri cabeceando no travessão
O "se" não entra em campo e sim, vale a discussão e a insatisfação dos são-paulinos contra a arbitragem do confuso e péssimo árbitro chileno Patricio Polic. Ele deixou de marcar uma penalidade claríssima, nos acréscimos da primeira etapa, em cima de Hudson. Se marcasse, teria também que expulsar Bocanegra. Os brasileiros poderiam ter ido para o intervalo vencendo a partida e com um a mais.
Pois bem, veio a segunda etapa e com a necessidade de marcar gols, o tricolor se expôs. Kardec entrou no lugar de Hudson e Luís Araújo no de Centurion, logo após Bruno salvar um gol, em cima da linha. Denis fez dois milagres e os colombianos não eram ameaçados de formas concretas. 
Aos 30' a nova polêmica. Jogada bem trabalhada pela direita e a bola no cruzamento bate no cotovelo de Carlinhos - pênalti, daqueles interpretativos e não mal intencionado.  
Os jogadores brasileiros não acreditavam e se revoltaram. Lugano e Wesley foram expulsos. O árbitro se perdeu de vez. Borja não tem nada a ver com isso e com qualidade fez e decretou o placar final em 2x1 e carimbou, de forma mais do que merecida, a passagem para a final, depois de 21 anos.
Ora, hoje por mais doído que seja se sentir prejudicado, isso infelizmente não é exclusividade do tricampeão. Os brasileiros sempre sofrem com a Conmebol. É preciso se planejar melhor. Fazer bem a lição de casa, para que as desculpas nas eliminações, pelos erros grotescos não sejam usados como principal fator. 
Reconhecer que o adversário foi superior nos confrontos, independente dos erros é uma virtude que não se pode perder. O São Paulo deve levantar a cabeça e se orgulhar de como chegou até a semifinal. O ano foi e segue conturbado. Salários atrasados, políticas internas, entrada e saída de jogadores, enfim, o momento é de planejar para não sucumbir no Brasileirão.
Até a próxima!