terça-feira, 2 de agosto de 2016

SÃO PAULO PERDE BAUZA - Por Rodrigo Curty

E o torcedor são-paulino está preocupado. O São Paulo que em 2015 teve um sério problema de exposição negativa, turbulências internas, campanhas aquém de um time altamente vencedor, agora convive mais uma vez com a busca de um comandante.
O ano de 2008 foi o último sensacional do clube, afinal conquistou o tricampeonato seguido no Brasileirão. Porém, o tricolor de 2009 para cá já teve 11 treinadores no comando: Ricardo Gomes, Sergio Baresi, Paulo César Carpegiani, Adilson Batista, Emerson Leão, Ney Franco, Paulo Autuori, Muricy Ramalho, Juan Carlos Osorio, Doriva e Bauza. 
Sim, o último da lista acertou a ida para a Seleção da Argentina. O contrato do ex-zagueiro iria até dezembro e resolveu antecipar. Desta forma, a missão agora do clube da fé, será buscar um novo treinador. 
O problema é que o mercado não oferece um nome com o perfil dos gringos Osório e muito menos de El Paton. Talvez, a solução possa ser mesmo "caseira". Não, Pintado não é esse cara. André Jardine? Esse vai muito bem nas divisões de base. É super campeão no sub-20.  
A tendência das equipes brasileiras é cada vez mais olhar para dentro de casa. Trazer "medalhões" para dar resposta ao torcedor pode ser um tiro no pé. É claro que os momentos mais adequados para experiências é nos campeonatos regionais. Isso não será possível agora. Vale o risco, por exemplo como o Flamengo que apostou em Zé Ricardo? Ora, sinceramente, se o grupo estiver focado, unido e com dedicação, o nome do treinador será consequência.
Se analisarmos friamente o trabalho de Bauza, perceberemos que o Tricolor, apesar de não ter um super time, ser limitado em algumas posições, fez mais do que o esperado. Nos oito meses à frente, o argentino conseguiu menos que 50% de aproveitamento. Em 48 partidas perdeu 17. E olha que por pouco, quase chegou a mais uma decisão de Libertadores. Se não fossem os desfalques, poderia "calar" os críticos.
No Brasileirão a ordem é a recuperação imediata. Talvez, Bauza nem esteja no banco na partida contra o Atlético MG. Vamos aguardar e ver se nesse caso será Jardim ou Pintado. E até quando o torcedor terá que esperar e ter a tranquilidade de ver um "cara" que continue fazendo milagres nas horas inesperadas.
Até a próxima!