quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

CARIOCAS E GAÚCHOS NA PRIMEIRA LIGA - Por Rodrigo Curty

E a bola rolou para mais uma rodada da Copa da Primeira Liga. Em campo a rivalidade entre cariocas e gaúchos se fez presente. É bom que se diga, se o torneio para muitos não passa de uma oportunidade para as equipes ganharem padrão, planejar melhor para temporada e observar possíveis peças a serem utilizadas em um plano B, para o torcedor dos envolvidos vale sim um título importante, afinal, querendo ou não, a tendência é de que a Liga ganhe cada vez mais forças daqui para frente com ou sem aval total da CBF. 
No campo, o que vimos foi um duelo entre o Internacional com o Fluminense e o Flamengo contra o Grêmio. No primeiro jogo, o Colorado que ainda amarga a queda à série B ainda não empolga a sua fanática torcida. O time precisa definitivamente se encaixar para crescer nos torneios. É bem verdade que a vitória de 1x0 sobre os reservas tricolores, sim, Abel levou ao campo apenas três de seus considerados titulares não deve ter muito peso. 
O importante, ao meu ver é o Internacional aproveitando as oportunidades que terá na temporada para encarar os times da série A de igual para igual. Precisa ganhar moral e confiança para retornar com certa folga à elite no ano que vem. Eu imagino que isso venha ocorrer, porém toda a calma é pouca. Já o Fluminense surpreende, mesmo que a maioria, assim como eu, entenda que o campeonato regional não deve ser levado como parâmetro de sucesso nos torneios mais parrudos. De qualquer maneira ter um cara no comando que conhece bem o grupo ajuda e muito a acreditar em voos maiores. Com a vitória o Internacional assumiu a liderança do grupo A com seis pontos. Os cariocas seguem em segundo com três pontos. 

Já em Brasília, o rival Colorado, o Grêmio, que também jogou com um time misto perdeu do Flamengo na estreia das duas equipes. O rubro-negro está literalmente "voando" em campo. Foi avassalador, principalmente no primeiro tempo, marcando em cima, alternando as jogadas pelos lados do campo e acima de tudo mostrando o que Zé Ricardo deseja do time - um grupo unido e todos jogando para todos. 
Trauco, o lateral esquerdo provou estar totalmente adaptado e cada vez melhor na marcação, um de seus defeitos. A jogada do primeiro gol, saiu dos pés de Diego, o melhor em campo, principalmente por estar livre para jogar em todas as partes e por ter cobertura de William Arão e Rômulo quando algo dá errado. O meia tocou para Trauco que com um toque inteligente, deixou Everton se consagrar com uma bomba. 
O tricolor gaúcho bem que poderia empatar a partida até a metade da segunda etapa, mas foi parado pelo goleiro Muralha em duas ocasiões de Bolaños. Como quem não faz leva, quis o destino que mais um estreante da Gávea, jogando contra o Grêmio(antes quatro estreantes também conseguiram a proeza) fizesse o gol - Orlando Berrío, que entrou meio perdido e errando, provou que é pé quente e oportunista. Pegou o rebote do goleiro Bruno Grassi, após a cabeçada de Guerrero e, também de cabeça colocou a bola nas redes e saiu para a torcida que já o tem como ídolo. 

Apesar da derrota, vejo o time de Renato Gaúcho bem interessante também no banco de reservas, basta acertar o setor defensivo. A Libertadores é o foco de ambas as equipes. O que não pode é perder a confiança da torcida, assim a Liga deve ser levada a sério. O Flamengo lidera o grupo B com três pontos. Vamos aguardar os próximos capítulos! Até a próxima!