quinta-feira, 9 de março de 2017

FLAMENGO DE RAÇA, AMOR E PAIXÃO- Por Rodrigo Curty

O dia oito de março não será esquecido tão sendo pelos torcedores do Flamengo. E olha que não é apenas pela bela e justa campanha criada pelo dia internacional da mulher e, sim pela atuação de gala em apenas 45' contra o San Lorenzo(Arg) na estreia das equipes na Libertadores.
O cenário, a atmosfera eram favoráveis para que tudo terminasse como terminou. Estádio lotado, mosaico maravilhoso e muita festa. É verdade também que o fantasma das últimas participações do rubro-negro na competição vieram à tona no fim do primeiro tempo, no qual os comandados de Zé Ricardo se apresentaram muito aquém do esperado e, com apenas uma grande chance de gol de Everton que parou na trave.
Por sorte dos deuses do futebol, o melhor estava por vir na etapa final. O placar de 0x0 precisava mudar o quanto antes e todos voltaram embalados pelo 12º jogador que cantou, cantou, cantou. Não demorou muito para o grito de gol ensurdecer os presentes no Templo do futebol. E ele veio na melhor forma possível - Aos 3', em uma bela cobrança de falta do agora camisa 10, Diego que ainda participou dos outros três gols da goleada de 4x0. Chamou a responsabilidade com autoridade. 
O Flamengo diferentemente do costume das equipes que saem na frente do marcador, continuou pressionando o perdido time do Papa, e chegou ao segundo gol aos 16', em um belo chute de fora da área do lateral esquerdo Trauco. Aos 25' foi a vez do volante Romulo ampliar de cabeça. O estádio parecia que iria abaixo.
O melhor estava por vir. Aos 40', uma penalidade máxima foi desperdiçada pelo "matador" da equipe no ano, Guerrero, que imediatamente teve seu grito de "acabou o Câo" cantado da arquibancada. Só que Gabriel, assim como Berrío na primeira etapa, entrou colocando fogo no jogo. A correria de ambos os lados deixou o time argentino desconcertado, logo o fechamento das cortinas do espetáculo teve o que poucos poderiam imaginar, um gol daqueles dignos de Maracanã -  a bola do garoto beijou o ninho da coruja defendido por Torrico.
Ainda falta muita coisa. O objetivo e a mentalidade deve seguir sendo o jogo após jogo, de qualquer maneira, doa a quem doer, não seria pretensioso afirmar que o mosaico e a alusão de título em 2017 como o conquistado de 1981 mexeu e muito com o elenco.
A vitória deixa o Flamengo na liderança do grupo 4 com três pontos. Atlético PR e Universidad Católica com um ponto e o San Lorenzo na lanterna.
Na próxima quarta o time carioca visita a equipe chilena, enquanto os argentinos recebem o rubro-negro paranaense. É aguardar para ver.
Até a próxima!