quarta-feira, 10 de maio de 2017

O DUELO DE MADRID - Por Rodrigo Curty

O duelo entre as duas fortes equipes de Madrid foi do jeito que se esperava.  De um lado o Real jogando com o regulamento na mão, uma vez que fez a lição de casa no Santiago Bernabèu, quando venceu por 3x0, em show de Cristiano Ronaldo. Do outro, um Atlético eletrizado, "possuído" e pronto para jogar até a última gota de sangue.
A rivalidade entre a dupla madrileña não é de hoje. Além de ter que reverter o placar, os colchoneros tinham o desejo de acabar com a supremacia do rival pela Liga dos Campeões - Até então eram três triunfos seguidos dos merengues na competição.  
A partida começou com o time da casa pressionando e provando que era possível o revés. Em apenas 15' o que se viu foi Oblak pegando a cabeçada de Casemiro e Navas também defendendo e levando dois gols relâmpagos de Saúl e Griezmann, de pênalti, o que levou a torcida rojiblanca à loucura no estádio Vicente Calderón, que será demolido e transformado em Centro comercial. Até que se faça um novo estádio, o que jamais será esquecido é que no último duelo contra o maior rival, a vitória se fez presente. 
A eliminação do valente time de Simeone se deu por falha defensiva. Benzema fez uma linda jogada, depois de lateral cobrado por CR7. O atacante francês passou por três marcadores e rolou para Kross encher o pé. Oblak defendeu e a bola sobrou para Isco jogar para o fundo das redes. 
Na segunda etapa o Real já era outro. Jogou como costuma jogar. Toque de bola, profundidade e com uma impressionante frieza. 
O time da casa teve bosas chances com Gabi, por exemplo, só que era o dia de Navas. O goleiro evitou pelo menos três chances claras de gol. Daí veio a tempestade, o tempo passando e a certeza dos comandados de Zinedine Zidane que o passaporte para mais uma final de Liga estava garantido.
O time merengue chega a sua 15ª decisão e busca a sua impressionante 12ª "orelhuda". É claro que não será nada fácil conquistar o bicampeonato. Encarar a barreira, equilíbrio e obediência tática da Juventus é uma tarefa no mínimo complicada. A Velha Senhora chega a sua segunda final em três anos e definitivamente não vai querer desperdiçar. Até o dia 03 de junho tem tempo e, por enquanto, felizes aqueles que garantiram presença em Cardiff, afinal assistirão um espetáculo de futebol.
Até a próxima!