sábado, 3 de junho de 2017

MADRID TEM AQUILO ROXO - Por Rodrigo Curty

E infelizmente lá se foi mais uma decisão da Copa do Campeões. A competição que perde em audiência e atenção, apenas para à Copa do Mundo, viu mais uma vez o Real Madrid levantando a "orelhuda".
E nem os mais otimistas poderiam esperar tamanha facilidade da equipe Merengue, mesmo contando com o fantástico português Cristiano Ronaldo, que terminou com 12 gols, dos 36 marcados pela sua equipe. Do outro lado estava a também experiente, valente e bem montada equipe da Juventus de Turim. O time de Massimiliano Allegri até a final havia levado apenas três gols nas doze partidas realizadas para chegar à final. Só que levar quatro gols não foi o pior. O time italiano pela sétima vez ficou com o vice-campeonato.
Um dos motivos é que ainda não conseguiu entender que final é final, e não interessa o que foi feito para chegar até ela. É preciso a equipe estar bem preparada física e tecnicamente. A Juve, pelo sorteio da FIFA foi a mandante da decisão. Assim, os comandados de Zinedine Zidane entraram com a camisa de cor Roxa, essa aliás, uma bela camisa. Só que quem saiu roxo de vergonha foram os italianos.
Diz o ditado que em muitos casos que passamos, devemos ter "aquilo" roxo. E olha que o Real Madrid provou que tem e de sobra, mesmo sendo ameaçada no início da partida. Um time envolvente, frio, cascudo e, que como poucos sabe jogar uma decisão desse peso.
O passeio de 4x1 começou exatamente nos pés de Cristiano Ronaldo, que também marcou o terceiro e provou ser o "matador" em finais. Marcou pela terceira vez em decisões - antes havia feito pelo Manchester United em 2008 e ano passado contra o Atlético de Madrid. De quebra, os merengues chegaram a impressionante marca de 500 gols no torneio e o camisa 7 aos 600 gols na carreira.
A 12ª taça tem muito peso. Sozinho o Real Madrid agora tem a mesma quantidade de taças conquistadas pela Itália. A tendência é que isso venha só a aumentar, afinal o trabalho é bem planejado, os investimentos certeiros e o trabalho em equipe muito valorizado. Queira ou não, o time conta mesmo com galácticos. Como não valorizar hoje o contestado goleiro Navas, o gigante capitão Sergio Ramos, Casemiro, que marcou um golaço, Mòdric, Kroos, e Isco, que cresceu com a ausência de Bale. Um time que merece aplauso e ser "copiado".
Hoje CR7 é o mais idolatrado e com razão, afinal, essa foi a quarta orelhuda levantada por ele. Você dúvida que será possível chegar a marca de Paco Gento (seis títulos pelo Real), Paolo Maldini  e Alessandro Costacurta (cinco pelo Milan) e o maior ídolo de Madrid, Alfredo di Stéfano (cinco)? 
Ora, o português, assim como Madrid sabe o que quer e onde pode chegar. Foi o primeiro bicampeão da Copa dos Campeões. O último a conseguir o feito foi o inesquecível Milan inesquecível de1989 e 1990 (o torneio tinha outro nome).
O quatro vezes melhor do mundo deve alcançar a sua quinta bola de ouro e finalmente se igualar à Messi. E ele quer mais e não deve parar. Por enquanto, vale curtir o título, descansar e pensar na próxima temporada.
Até a próxima!