quarta-feira, 7 de junho de 2017

RODADA TERRÍVEL PARA OS CARIOCAS - Por Rodrigo Curty

A quinta rodada do brasileirão foi péssima para as equipes cariocas. O Fluminense empatou em casa na abertura da rodada contra o Atlético PR. Já Botafogo, Vasco e Flamengo foram derrotados por Santos, Corinthians e Sport, respectivamente. Vamos as análises:
O Glorioso encarou o Santos, que ainda não contou com o novo técnico Levir Culpi. A partida no Pacaembu foi bem equilibrada. O Fogão foi mais organizado que o time santista, mas como já é sabido, no futebol vale na maioria das vezes a competência, e isso mais uma vez faltou aos comandados de Jair Ventura. Se Pimpão perdeu uma ótima chance na cara de Vanderlei, aos 50', de falta, o lateral-direito Victor Ferraz, aproveitou da falha do goleiro Helton Leite e garantiu os três pontos para a equipe da Vila. O resultado colocou o Peixe na 12ª colocação com seis pontos. Levir terá muito trabalho para encontrar o bom futebol. Para o Fogão, a hora é de acertar os erros infantis para não viver de "se" lá na frente.
Em São Januário lotado, o líder da competição, o Corinthians, mesmo desfalcado foi "gigante" contra o Vasco, que apesar do placar de 5x2 teve muitas chances para vencer a partida. Aqui mais uma vez a competência fez a diferença. O trabalho bem feito, planejado dá frutos. A prova disso são os números do líder na temporada. Essa foi 18ª partida de invencibilidade. Fora de casa, o clube chegou a 17 partidas, com 11 vitórias, cinco empates e só uma derrota. Fábio Carille faz um belo trabalho no comando do Timão. O time é simples, barato e eficiente. E isso ajuda em outros aspectos como a sorte e estrela, afinal Clayton entrou aos 36' da etapa final e marcou dois gols. Resta saber até quando a eficiência, estrela e competência irá durar.
Já o Flamengo decepcionou mais uma vez o seu torcedor. O amor está conturbado. O técnico Zé Ricardo não é nenhuma unanimidade, principalmente após a eliminação na Libertadores e rendimento nesse início de brasileirão. Não sou a favor de mudanças, porém o clima está muito ruim. 
O goleiro Muralha idem, falhou novamente. E não é só ele. A equipe que se reforçou do ótimo Everton Ribeiro está devendo. Apesar de criar oportunidades nos jogos, a falta de empenho, lucidez, alternativas táticas e coragem fazem do clube da Gávea uma incógnita. Se o treinador trabalha tanto a questão da meritocracia, essa seria mais do que a hora de mudar o time. Muralha, Pará, Réver e Willian Arão caíram demais de rendimento. Porque não se aproveitar do gigante elenco? Deveria ser dada a oportunidade para Thiago (apesar que deveria ter um goleiro experiente na titularidade) Rodinei, Cuèllar, Mancuello, Vinicius Júnior e Vizeu começarem como titulares e não entrando para tentar uma salvação.
O Sport Recife foi mais eficiente e se aproveitou dos erros infantis para sair vitorioso pela primeira vez no comando de Vanderlei Luxemburgo. O time pernambucano arriscou mais, chutou mais e se impôs.  Mereceu a vitória.
O rubro-negro carioca precisa acreditar mais em seu elenco. Confiar mais no chute, na troca de passes e principalmente na raça nos momentos adversos, como é a sua história. Algo me diz que o elenco está enciumado. Está mais do que na hora de Donatti e Berrío retornarem e porque não Gabriel. Com ausências de Trauco e Guerrero, por que não utilizar Everton na lateral esquerda? O time poderia testar um novo esquema ou um 3-5-2 ou o básico 4-4-2 com Ederson mais centralizado ao lado de Diego? Está nítida a falta de criação e confusão no setor de meio-campo. O jogo contra o Avaí ganha proporções e pode ser a despedida de alguns jogadores e comissão técnica. Arrisco dizer que tem retorno à vista - Dorival Junior deve ser um nome, será? É aguardar para ver.
Até a próxima!