terça-feira, 28 de outubro de 2008

O IMPONDERÁVEL - Por Diego Senra

Depois de 17 etapas por quatro continentes, a caravana da F1 chega à São Paulo para a decisão do titulo do campeonato mundial de 2008. Resumindo, poderia ser isso.
Mas não é! Num ano que vai ser lembrado para sempre como chuvoso e cheio de trapalhadas, dizer que o título vai se decidir aqui no Brasil é minimizar uma temporada das mais disputadas dos últimos tempos.
Tivemos vários vencedores de corridas e equipes que demonstraram muita capacidade de crescer, como BMW, STR e Renault. Porém, desde o começo, Hamilton e Massa disputaram os holofotes com excelentes performances, que foram, em sua maioria, decididas nos detalhes entre os dois. Um deles é o atual campeão? Não. É o melhor piloto em atividade? Não. É uma das revelações da temporada? Também não. Mas são os dois melhores conjuntos da F1 atual e trazem uma série de opostos entre si.
Massa é um piloto com anos na categoria. Hamilton estreou no ano passado – Mesmo com todos seus anos, Massa chega pela primeira vez com chance de ser campeão, enquanto Hamilton perdeu no ano passado o título, de forma bisonha, por um ponto para Raikkonen.

Massa sofre com erros da equipe. Hamilton sofre com seus próprios erros - E aqui no Brasil, normalmente a bruxa fica à solta, principalmente dentro da pista. Massa corre sem pressão. Hamilton sofre toda a pressão do mundo - Apesar de liderar o campeonato, todos esperam que o inglês confirme o título de uma vez por todas e não “amarele” mais uma vez, pela pressão.
Massa decide o título em casa. Hamilton perdeu o título do ano passado lá - Em Interlagos, o piloto da McLaren sentiu mais do que nunca o peso da temporada de estréia e da expectativa da equipe e perdeu um título praticamente ganho, enquanto Massa já ganhou aqui e poderia ter ganhado de novo ano passado, mas abriu e deu a corrida e o título de presente para Raikkonen.

Massa depende de uma combinação de resultados. Hamilton só depende de si - O brasileiro precisa ganhar e o inglês não pode chegar melhor do que sexto.
Massa conta com seu companheiro de equipe. Hamilton nem deve contar - Seus companheiros de equipe não conseguiram acompanhar o ritmo, nem a BMW apesar de todo esforço de seu formidável piloto. A Ferrari trabalha para que aconteça uma dobradinha aqui, enquanto a McLaren gostaria que Kovalainen ajudasse um pouquinho, só pra variar.Massa corre com o apoio da torcida. Hamilton corre contra tudo e todos - Depois das performances agressivas (demais) nas pistas e declarações infames fora dela (como no julgamento da FIA e na entrevista onde disse que era tão bom quanto Senna), Hamilton é hoje o piloto mais odiado do grid, de longe.

Massa venceu no seco, Hamilton venceu na chuva - A previsão do tempo prevê pista seca, mas quem mora em São Paulo sabe que isso não quer dizer absolutamente nada.

A questão toda é que os dois pilotos, em teoria, tem plenas condições de ganhar em Interlagos. Mesmo que a Ferrari arrume um excelente acerto do carro para a prova, em CNTP Hamilton garante com facilidade a terceira colocação para confirmar o caneco. Mas aí é que entra o imponderável. Como já disse Fangio, “Carreras son Carreras” e quem gosta de automobilismo sabe que ninguém ganha corrida de véspera e, dentro da pista, tudo pode acontecer.

Detalhe de Hamilton

Em Interlagos, Hamilton vai ser obrigado a repetir o motor utilizado na China. Massa e alguns outros pilotos utilizaram o coringa durante a temporada e vão largar com motor novo em São Paulo. Isso é motivo de grande preocupação para a McLaren, já que o ar rarefeito da China pode ter levado à um desgaste elevado do motor atual, sem contar o fato de Kovalainen não ter completado as duas últimas corridas por problemas mecânicos, motor no Japão e hidráulica na China. A equipe sabe que se Hamilton não chegar, tem grandes chances de perder o título para Massa.

Detalhe de Massa

É uma situação complicada para Massa saber que não depende somente de si para ser campeão. Mesmo sabendo que tem que ganhar e que pode contar com seu escudeiro Raikkonen, Felipe reconhece que tem uma tarefa ingrata. Hamilton não tem o incômodo de um companheiro de equipe disputando um título e rachando a equipe como Alonso em 2007, e chega determinado a não deixar o título escapar pelas mãos. A Ferrari tem que emplacar uma dobradinha em Interlagos, coisa que não faz desde o GP da França. A equipe sabe que se não fizer a dobradinha, tem grandes chances de perder o título para Hamilton.

Difícil de acreditar

O assunto da semana no meio da internet automobilística foi a divulgação de uma gravação do rádio entre Rubens Barrichello e a equipe Ferrari naquela vergonhosa corrida da Áustria-2002. A transcrição da conversa foi veiculada no livro do respeitado jornalista Lemyr Martins e saiu na capa do jornal e site do LANCE! (
http://www.lancenet.com.br/esportes/AUTOMOBILISMO/noticias/08-10-23/413288.stm?confira-o-susposto-dialogo-com-barrichello), o que normalmente já seria um sinal da sua veracidade. Ameaças à mãe e à cadela Lulu (?), xingamentos estranhos (sapo francês) e o aparecimento de um procurador que não existe no texto tornam o texto meio difícil de acreditar. Alguns (ótimos) blogs como os dos experientes Victor Martins (http://victal.zip.net) e do Ivan Capelli (http://www.blogdocapelli.com.br) se adiantaram e mostraram que esse texto se tratava de uma brincadeira (http://www.ferrarilist.com/archives/ferrari.php?id=62179).

A questão é que, mesmo com a exibição desse link, Lemyr mantém sua postura que o texto é pelo menos em parte real e que a fonte é de extrema confiança. E só para deixar mais a pulga atrás da orelha, olha o que o Rubinho falou na Sportv, anos atrás (http://br.youtube.com/watch?v=RS6ToUCbvZ0). Vai saber, né?

Aposta da Semana
Curto e Grosso. Dá Hamilton!