quarta-feira, 25 de março de 2009

REGIONAL OU LIBERTADORES? POR RODRIGO CURTY

A cada dia que passa, o futebol brasileiro se torna mais chato, sem emoção, estímulo, e faz o torcedor fugir dos estádios. Seria o calendário? Os torneios? A falta de foco especifico dos clubes? São várias razões, principalmente as técnicas e estruturais.

O campeonato Paulista, por exemplo, considerado o melhor e mais equilibrado do país, salve algumas surpresas deverá ter os quatro grandes na disputa.

O Palmeiras no torneio segue invicto e já está classificado. E por isso, nas últimas rodadas deve escalar o time reserva para voltar as suas atenções apenas para a Libertadores da América, competição onde ainda está devendo e que precisa vencer.

O que fica no ar é a questão: Sábado tem clássico contra o São Paulo. Não valeria mesmo já classificado, escalar a equipe titular para medir forças contra um time que vai bem no torneio Sul-Americano mesmo sem empolgar?

Dia 08/04, é o dia D para o Palestra. Um novo resultado negativo, desta vez para o Sport, em Recife, deverá trazer problemas sérios no clube. Seria uma catástrofe que não se salvaria nem com a conquista do Paulista. Ou o torcedor palmeirense, diferente do São Paulo que aparentemente não se preocupa em chegar às semifinais, prefere só o estadual? Disse e repito, o Palmeiras precisa de um bom banco de suplentes e acima de tudo saber diferenciar as competições que disputa, caso contrário, o planejamento do 1º semestre irá por água abaixo.

Já no Rio de Janeiro, o Vasco até então considerado o pior time dos quatro grandes faz a diferença e vem jogando bem. Diferente do último ano, quando não venceu nenhum clássico, em 2009 empatou com o Fluminense, derrotou o campeão da taça Guanabara por 4x1 e o Flamengo por 2x0. O segredo será o de comer pelas beiradas? Para mim fica claro que um bom esquema táctico e obediência, vale cada vez mais que um time com bons jogadores e lindas jogadas.

No Paraná, o Furacão até duas rodadas atrás era 100%. Bastou perder para o trabalho de Geninho ser questionado. Em Porto Alegre, o Grêmio que relativamente vai bem na Libertadores sofre altas e baixas no Gauchão. E daí? Não vale mais o torneio Sul-Americano? Hoje em dia não se dá para ganhar tudo. O equilíbrio existe. Veja o Juventude, por exemplo.

Em Minas, o Galo Mineiro deve ser o campeão, pois o Cruzeiro foca a Libertadores. Claro que em uma decisão, os torcedores não vão querer saber em poupar jogadores, ou seja, aí a Raposa cresce.

Eu particularmente entendo que os regionais mexem muito com os torcedores. É a hora das maiores gozações, de dizer que torce para o melhor time da cidade. Mais porque não voltar com os torneios interestaduais? Arrisco dizer que daria mais renda, empolgaria mais e valorizaria mais o brasileiro de pontos corridos adiante.