quarta-feira, 10 de junho de 2009

A HORA DA AFIRMAÇÃO PARA DUNGA - Por Rodrigo Curty

A Seleção Brasileira de futebol entra em campo mais uma vez nessa noite. O local é o estádio do Santa Cruz, conhecido como o Mundão do Arruda. O estádio tem uma ligação interessante com o a Seleção. Nas eliminatórias para a Copa de 1994, ano do Tetra, os jogadores sofriam fortes pressões da imprensa e torcida. Queriam a cabeça de Parreira, enfim. E foi justamente em uma partida contra a Bolívia nesse estádio que um gesto criado ficou em evidência até a conquista nos Estados Unidos. O gesto da entrada dos jogadores de mãos dadas. Uma união que deu certo.

Hoje os tempos são outros, e as pressões continuam as mesmas. Dessa vez sobre Dunga. Longe de entender que ele seja o melhor treinador brasileiro ou o homem que deveria estar a frente do Brasil, mas se principalmente no futebol vivemos de números, não há o que contestar. Nas treze partidas das eliminatórias, perdemos apenas uma. Conto a seguir.

Para se ter idéia na 'Era Dunga', os números nas Eliminatórias são surpreendentes. Nos jogos fora de casa, o aproveitamento é de 57%. Comparando com as eliminatórias para a Copa da Alemanha, nessa fase o aproveitamento era de apenas 33%, porém como mandante era de 78%, hoje é de 67%.

Mas não estou aqui para falar de números e sim o que nos reserva o futuro. A partida de hoje é de grande importânia, pois uma vitória manterá a Seleção na primeira colocação, a vaga na África do Sul, praticamente assegurada e dará um pouco mais de paz para o plantel. Já a derrota pode colocar o Brasil na quarta colocação, isso claro se Argentina derrotar o Equador, que ainda sonha, em Quito e o Chile vença a Bolívia, em Santiago.

Agora uma coisa é certa. Temos que ficar espertos com os paraguaios. O motivo é simples. Trata-se da única seleção que nos derrotou nessas eliminatórias. Outra curiosidade para ficarmos atentos. A Seleção Brasileira não perde em casa há quase sete anos ou 17 jogos. A última vez, foi justamente contra os paraguaios. Hoje eu acredito na vitória e você?

Depois eu volto com a Copa das Confederações.