segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

CRAQUE OU DIFERENCIADO - Por Rodrigo Curty

Os campeonatos regionais seguem com tudo. Seja em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Rio Grande do Sul, enfim, por todo o país, arrisco dizer que ainda não se pode cobrar e muito menos se entusiasmar com os clubes, afinal muitos dos resultados obtidos pela maioria não serve de parâmetro.

Nesta semana começa a Libertadores, a Copa do Brasil e daí poderemos cobrar mais.

Mas hoje vou falar da volta de mais um "craque", apesar de preferir acreditar que seja apenas um excelente jogador ao futebol brasileiro.

O Santista sorri a toa nesta segunda-feira. Seu time é líder do Paulistão, tudo leva a crer que a safra de garotos é realmente boa e interessante para o clube, e ainda viu seu ex ídolo voltar com o pé direito. No clássico contra o São Paulo, na Arena Barueri, o Sansão foi bem disputado e com poucas oportunidades de gol, principalmente na primeira etapa.

O Peixe saiu na frente com o gol de Neymar, após Arouca sofrer penâlti de Miranda. Com paradinha que deu o que falar, fez com que o tricolor voltasse outro na etapa final. Chegou ao empate com o reserva Roger, mas com a entrada de Robinho, o talento falou mais alto. Em um trio que promete muito, Robinho, Neymar e Ganso, o camisa sete fez a diferença e provou ter um estrela que brilha quando ele mais precisa.

Robinho, um jogador sem dúvida diferenciado tabelou com Neymar em duas oportunidades, uma o goleiro Rogério Ceni fez grande defesa, na outra um chute para fora, mostrando que realmente a finalização não é o seu forte, mas que a acobacia e a técnica que viria logo a seguir é seu principal cartão de visita.

Após erro de ataque são paulino, Zé Love puxou um contra-ataque mortal. Ele tocou para Wesley que livre cruzou da linha de fundo para Robinho sem pensar muito de letra "matar" o capitão são-paulino. 2x1 que liberou uma energia e alegria que por muito tempo estava adormecida. O ídolo voltou, as atenções também.

Acredito mais do que nunca que este retorno colocará Robinho na Copa, mas não me empolgo antes da hora, pois craque que é craque na hora "H" também tem que decidir. Você acredita no craque santista para isso? Eu acredito no conjunto de outras feras que lá na África também estarão e que deve usar a Copa de 2006 como maior lição, a de jogar mais e falar menos.

Até a próxima!!