terça-feira, 9 de março de 2010

A QUEDA DO IMPERADOR - Por Rodrigo Curty

Hoje o assunto do EA! é referente ao grande atacante brasileiro Adriano. Não sou daqueles que julgam uma situação com intuito de sensibilizar, polemizar e valorizar tais fatos, mas também não deixo de opinar uma determinada situação de interesse esportivo.

De qualquer forma, sinceramente, o assunto Adriano já deu o que tinha que dar. É impressionante como as pessoas, principalmente a imprensa demonstra o gosto que tem em “detonar” na maioria das vezes aquele que já está “detonado”. Hoje não é mais surpresa ver o “Imperador” como o maior destaque nas manchetes esportivas.

Quem acompanha ou conhece um pouco a carreira do jogador, já sabe que os problemas no qual ele passa atualmente já foram vivenciados também no passado.

Basta lembrarmo-nos de sua passagem na Itália aonde rapidamente chegou à glória na poderosa Internazionale de Milão, e talvez pelo deslumbre foi visto excessivamente fora de forma, desmotivado, e muito das vezes questionado, a ponto de ser liberado para voltar ao Rio de Janeiro.

Mas o que era para ser uma reflexão virou farra. Adriano foi visto frequentemente em festas de bailes funk, com direito a cigarro nas mãos, mulheres e fotos para deleite de paparazzi, enfim, apesar de retratarem isso apenas em 2006, o próprio jogador afirmou que foi após a perda de seu querido pai Almir Leite Ribeiro, em 2004, que as coisas desandaram.

A péssima fase na Inter, após retorno de nove meses continuava, e apenas em 19 de Dezembro de 2007, uma luz se acendeu no fim do túnel, quando houve acerto com o São Paulo.

No tricolor ele foi muito bem, diga-se de passagem, mas não deixou de ter momentos conturbados, assim como em seu retorno à Itália, em Julho do mesmo ano, onde acabou definitivamente dispensansado em Dezembro.

De volta ao Rio de Janeiro, o que se viu foi um Adriano nitidamente deprimido, chateado e decidido em largar o futebol, após as eliminatórias com a Seleção Brasileira em Abril.

Mas aí, no mês de Maio aparece o Flamengo, clube de coração para tentar levantar o astral do jogador. Expectativa em cima do craque, e desempenho maravilhoso no Campeonato Brasileiro. O artilheiro ajudou e muito na conquista do sexto título rubro-negro.
Hoje muitos falam que ele é um privilegiado por que tem regalias, por que não precisa se apresentar aos treinos, por que gosta de saídas noturnas, enfim, não entendo que isto seja algo correto em um clube com a grandeza do Flamengo, mas convenhamos que acordado não sai caro, correto?

A propósito o caro da história pertence apenas ao ser humano Adriano, pois devido às suas dependências fisiológicas, os problemas particulares, a possível depressão, entre outras coisas, devem custar sua ida a Copa na África do Sul. Isso sem falar da perda de investidores e a possível ida para o fundo do poço. Está na hora de erguer a cabeça.

Hoje torço demais pela sua recuperação, e o que não falta é motivação. Este é um ano de Copa do Mundo e Libertadores da América. Mas essa vontade deve partir dele, e claro se isso também for a sua vontade.

Força Imperador!!