sexta-feira, 18 de março de 2011

ADRIANO VALE O RISCO - Por Rodrigo Curty

Nesta semana que passou uma das principais informações do futebol se concentrou entre tantos assuntos, na demissão de Muricy Ramalho, do Fluminense, da estreia de Paulo Henrique Ganso, na Libertadores com a camisa do Santos, e sobre qual será o destino de Adriano.

O jogador está longe de ser chamado de "Imperador", pois é nítido o seu desprestigiu entre os clubes brasileiros. O Palmeiras, através de Felipão não quis abraçar a causa. O clube de coração do jogador, o Flamengo, principalmente por causa de Vanderlei Luxemburgo também -Lá a questão deve ser vaidade, e que juram não existir com o R10, ainda. Os rubro-negros mais sabidos acreditam que a primeira decepção, a corda vai estourar pra alguém. Por fim, o Corinthians resiste, mas admite, mesmo que timidamente aceitar fechar um contrato, porém de risco com o jogador. Mas Adriano já afirmou que prefere o Flamengo, fator que causou um mal estar no clube paulista.

Enfim, a novela deve durar pelo menos mais um mês. Até lá muita água vai rolar por debaixo da ponte e o jogador vai entrando em forma. Acredite, ele trabalha firme a condição física e para sarar logo da cirurgia do ombro direito. E na cidade maravilhosa, ainda sem Obama, a maior torcida do Brasil promete pressão à frente da sede do clube para fechar com o "Imperador".

Mas a questão aqui é tentar entender o por que desta resistência em ter ou não o atacante. Na minha opinião, penso que Adriano precisa antes de mais nada "se gostar" e "estar a fim " de voltar a ser um grande atleta. Precisa de juízo, e entender de uma vez por todas, que hoje os clubes preferem os disciplinados aos problemáticos, independente de quem resolve na hora"H". Pesa mais neste mundo capitalista aos clubes, a boa imagem do que a mancha nas manchetes, que no caso do Flamengo marcaram 2010, mas mesmo assim com muito cuidado eu penso que vale o risco.

Mesmo com o cenário atual do camisa ora 10, ora 8 poderia ter uma última chance. O chamado contrato de misericórdia. Funcionaria da seguinte forma. O clube que assumir a bucha, colocaria em cláusula que na primeira falha do jogador o contrato seria rompido, sem direito a multa rescisória. E que fora isso, dependeria e muito de uma boa performance para receber salários astronômicos. A maioria das pessoas não duvidam que bola ele tem de sobra. Mas você já imaginou se Adriano topasse isso e pisasse na bola? Ele talvez nem se preocupe com isso, mas sua imagem já desgastada ficaria de vez esquecida e o fim da história seria sua precoce aposentadoria.

Hoje os "súditos" rubro-negros o idolatram para vê-lo ao lado de Ronaldinho. Isso sem nada em troca. Muito pelo contrário quem deve é o clube. A dívida pendente de luvas e rescisão contratual, não é consensual da passagem do "Imperador" entre 2009 e 2010, na Gávea gira, de acordo com os representantes do craque, o valor de R$ 1 milhão.

Será que assim, não valeria o risco de fechar com o jogador como feito há dois anos com Petkovic, e para quem não lembra deu muito resultado? Vamos aguardar!!

Até a próxima!!